O cosméticos br apresentou esta matéria no Congresso Sepawa em 2014. Foi uma apresentação de 35 minutos e que, pelo tempo, pudemos destacar apenas três grandes empresas brasileiras de Perfumaria  e algumas de Cuidados Pessoais. Atualizamos essa palestra completa, com dados recentes do Euromonitor, para  publicação da in-cosmetics  Latin America  que está sendo enviada ao mercado através de mala direta. Aqui, para tornar o artigo menos longo,  publicamos apenas a parte Perfumaria. Pela mesma razão não constam nessa matéria todas as marcas e produtos que gostaríamos de publicar, porém, acreditamos que este trabalho desenvolvido para o mercado internacional naquele Congresso, mereça enfim ser publicado, da maneira possível.

 

O Brasil é um país de dimensões continentais, com uma população de 209 milhões de pessoas e um mercado de cosméticos que, em 2017, registrou vendas em valor de varejo de US $ 32,1 bilhões, de acordo com dados do Euromonitor. O país é, portanto, o quarto mercado em consumo no mundo, atrás dos Estados Unidos, China e do Japão.

O mercado brasileiro de fragrâncias é um mercado poderoso. Em 2017 vendeu USD 6,2 milhões, mas já foi o primeiro no ranking mundial em 2014 e 2015.

O setor importa apenas 7%. Poderia importar mais, mesmo em um cenário econômico mais restritivo, na medida em que os brasileiros são grandes consumidores de cosméticos e fragrâncias. Mas o ônus dos impostos transforma um produto razoavelmente barato em um produto de luxo, fazendo com que os consumidores busquem marcas locais de boa qualidade ou que empresas estrangeiras se instalem no país produzindo marcas brasileiras, como Avène, de Pierre Farbre, e sua marca local Darrow ou a L´Occitane Au Brésil, da L´Occitane.

No entanto, o varejo de beleza no Brasil frequentemente faz uso das vendas à crédito. Assim, um perfume de US $ 100 pode ser comprado por mulheres de qualquer classe social – em até cinco pagamentos no cartão de crédito, em qualquer loja de cosméticos ou loja de departamentos. E é muito comum ver pessoas comprando mais de dois perfumes em perfumarias, dividindo o pagamento.

 

revendedora_Botic

Varejo Multicanal

Destaca-se que 26,5% das vendas em Personal Care em 2017 vieram do canal de Venda Direta, no qual a Natura e a Avon são suas maiores representantes. Mas o mercado tem visto nos últimos anos, empresas e marcas grandes, como Natura (Natura & Co) e O Boticário (Grupo Boticário), médias ou pequenas, diversificando seus canais de varejo, operando multicanais (venda direta, franquia e e-commerce).

 

Indiosnadando

Fatores de Formação da Identidade Brasileira em Perfumaria

– O fato de o Brasil ter um clima quente e úmido, gerou uma herança cultural que vem dos índios brasileiros e que permanece entre sua população em geral até os nossos dias: o hábito de tomar banho duas ao dia, ou mais.

– O país não tem muitas flores, mas tem inúmeras plantas, é muito verde.  Assim, o cheiro do mato ou da floresta estão na nossa cultura olfativa. O frescor das plantas está no DNA olfativo dos brasileiros.

 

 

Rastro2

Primeira fragrância autenticamente brasileira Rastro, modernizada

Indústria inicia com sabonetes e deo colônias

– A Lavanda na região Nordeste deu origem à fragrância Seiva de Alfazema – um sucesso até hoje, e por conta dessa apreciação, seu perfume está na composição de várias fragrâncias brasileiras modernas

– As primeiras fragrâncias foram originadas a partir dos aromas dos sabonetes.

– A Unilever (85 anos no Brasil) trouxe o sabonete Gessy nos anos 30, que foi um sucesso até os anos 60.

– A Rastro criou o primeiro perfume brasileiro de qualidade na década de 60, que continua admirado e desejado pelos consumidores.

– O primeiro sabonete brasileiro – Phebo foi criado em 1930 em Belém do Pará, na região amazônica. É de lá que vêm as Águas de Cheiro – uma crença local para trazer sorte, amor ou dinheiro. A Natura foi a primeira empresa a entender sua importância cultural e investiu na formação de uma identidade brasileira em perfumaria, criando a linha Ekos, utilizando aromas de diferentes biomas brasileiros, especialmente da Amazônia.

 

 

 

ativos_perfumes

Ativos brasileiros usados no mercado internacional de fragrâncias

– O Brasil exporta para o mercado internacional a fava tonka do qual é extraído o “cumarino”, que exala um perfume quente, rico em facetas: amêndoa, deliciosamente balsâmico, também espalha aromas doces de feno e tabaco claro. Suas nuances de noz estão em Tonka Imperiale por Guerlain. Sob um aspecto doce e picante, temos o exemplo de Tonka Reminiscence.

– O absoluto do café com seus toques de chocolate amargo e tabaco (com um toque intrigante, gustativo, sem ser gourmand, aparece no praline, mergulhado em alcaçuz (especiarias e patchouli em A-Men de Thierry Mugler, ou misturado com flor de laranjeira) heliotrópio e musk em George, dos Jardins d’Ecrivains.

 

O Consumo de Fragrâncias em 2017

– Segundo agência global de pesquisa de mercado, Euromonitor, o consumo de fragrâncias premium no Brasil em 2017, atingiu R $ 1,3 milhão, enquanto as fragrâncias em massa, R $ 21,7. No mercado de massa, 56% das unidades vendidas são perfumaria feminina, 32% são fragrâncias masculinas e 11% são colônias infantis. Fragrâncias unissex não são representativas no mercado brasileiro, mas abre-se o nicho de fragrâncias sem gênero, como Genderless, da Natura, lançada recentemente.

– A classe C tem 42% de seu mix de produtos na faixa de preço mais econômica e apenas 15% em fragrâncias premium.

 

Principais empresas do país investem em Sustentabilidade, Biodiversidade e Tecnologia

Natura e O Boticário, empresas brasileiras mais representativas deste mercado, são inspiradoras para todo o mercado. Por essa razão nos concentramos nelas neste artigo, mas a cada dia surgem mais e mais empresas no país com apostas nesses mesmos princípios e estão ganhando mercado – nacional e internacional.

– Começando pela Natura e sua linha Natura Ekos, de fragrâncias e produtos de cuidados pessoais com ingredientes da biodiversidade brasileira, como açaí, cacau, castanha do Brasil, maracujá, pitanga e assim por diante.

– Começando pela Natura e sua linha Natura Ekos, de fragrâncias e produtos de cuidados pessoais com ingredientes da biodiversidade brasileira, como açaí, cacau, castanha do Brasil, maracujá, pitanga e assim por diante.

– A empresa utiliza 16 bio ativos brasileiros em sua perfumaria. Eles tiveram um processo de registro realizado pela empresa que levou alguns anos. São eles: Estoraque, Capitiu, Priprioca, Capim Limão, Pitanga, Maracujá, Tonka, Paramela, Mate, Açaí, Breu Branco, Castanha, Palo Santo, Murumuru, Guaraná, Cupuaçu.

– A empresa tem uma assinatura para suas fragrâncias composta de três ativos da biodiversidade brasileira, registradas para uso exclusivo durante um determinado período: Cumaru, Priprioca e Breu Branco. Com esta assinatura a Natura produziu seu primeiro Eau de Parfum, chamado Perfume do Brasil.

Priprioca, é um tipo de grama, com florzinhas muito delicadas nas pontas. São talos altos de erva, que se escondem debaixo do solo, em raízes de fragrância incomum – pequenos tubérculos que quando cortados exalam um aroma fresco e picante, que surpreende o olfato. Entre seus principais componentes estão: limone, cineol, miternal, espatulenol e óxido-cariofileno – é um óleo muito complexo e, portanto, nenhum elemento desempenha um papel majoritário frente a outros.

Tonka – Fava-de-Cumaru ou Cumaru é uma grande espécie tropical, especialmente comum na floresta amazônica. É uma árvore nativa do Brasil, Colômbia, Guiana Francesa, Guiana, Peru, Suriname e Ilhas Seychelles, que pode atingir 30 metros de altura. A semente desta fruta, conhecida como fava tonka, contém cumarina, usada na perfumaria como substituto da baunilha para aromatizar o tabaco e o rapé e para a extração de óleo.

Breu Branco é uma resina de odor natural agradável e fresco que vem do núcleo do tronco de uma árvore presente na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Iratapuru, na floresta amazônica. A árvore expele naturalmente essa resina da árvore, como uma forma de autoproteção quando é danificada ou picada por um inseto da floresta. Desta resina é produzido o extrato aromático. Só é encontrada em regiões montanhosas de floresta fechada. Seu cheiro se espalha pela floresta. É possível vê-lo a partir do reflexo claro da resina no tronco, como uma pedra áspera incrustada na madeira. Mas seu cheiro é difícil de descrever.

Humor

Natura Humor

 

– A empresa criou o Natura Humor com um conceito inovador, que propõe levar a vida menos a sério. Segundo Verônica, sua fragrância brinca com aromas, às vezes exagerando em um deles.

– Urban é uma fragrância masculina e como outras fragrâncias da empresa, é baseada em um convite. Esta é um convite a se envolver com a cidade e seus esportes, comida e design urbanos.

Nature

– Natura Naturé é uma deo colônia para crianças, que evidencia em sua embalagem, um convite a economizar água.

 

Oud4

– Recentemente a empresa lançou as versões masculina e feminina da fragrância Essencial Oud, Deo colônias de bouquet floral com óleos essenciais exclusivos da Natura. Sua nota de fundo consiste em notas aveludadas e cremosas de âmbar e madeira. A combinação de toda a opulência do Oud com o óleo essencial da copaíba, um ingrediente da biodiversidade brasileira e amadeirada, resulta em uma fragrância única e sedutora, de contraste exótico e estimulante. A copaíba é uma árvore frondosa que pode atingir até 30 metros de altura. Como mecanismo de defesa contra as pragas, produz no seu interior um óleo-resina que possui uma fragrância rústica e amadeirada. “O óleo essencial da copaíba tem um amadeirado, resinoso, com um caráter levemente balsâmico, traz um toque de sensualidade à fragrância”, explica Verônica Kato. É essa rara química entre um ingrediente tipicamente brasileiro e um ingrediente oriental que marca as fragrâncias Essencial Oud. As fragrâncias são uma co-criação entre a perfumista da Natura e Pierre Guéros, perfumista da casa de fragrâncias Symrise, especializada em Oud.

 

 

O Boticário – Cuidados Pessoais e Fragrâncias

Diferente da Natura, a marca O Boticário não possui uma assinatura específica (mas dentro do Grupo Boticário, uma outra marca, Eudora, tem sua assinatura própria).

A marca é lembrada pela qualidade de seus produtos, pelas inovações que promove e pelo forte desempenho que a marca tem em perfumaria desde a sua fundação.

Malbec

– O perfume masculino Malbec inclui na sua composição o Head Space do vinho MALBEC, e é produzido com álcool vinílico, uma inovação mundial.

    
Lily                                                                      

Lilly Essence é uma fragrância produzida através do tradicional método da Enfleurage, resgatando a técnica extinta de extração de óleos essenciais das flores, valorizando a arte da perfumaria.

– Café traz uma infusão dos mais nobres cafés como assinatura de seus produtos. A fragrância masculina Coffee Man, tem notas inspiradas na cultura indiana, que cultiva o hábito de adicionar cardamomo ao café para realçar seu sabor. Sugestões de tabaco, couro e extrato de Café Arábica Premium reforçam seu caráter de sofisticação. E Coffee Woman traz acordes envolventes de almíscar, com notas quentes de extrato de Café Arábica Premium e a doçura da baunilha, misturada com notas frutadas vibrantes, conferem um caráter moderno, que reforçam a sofisticação do perfume.

– Cesar Antonio Veiga (Coordenador de Avaliação de Fragrâncias de O Boticário) diz: “Nossa comida é saborosa e cheirosa, faz parte da nossa identidade. O segredo é saber como fazer a harmonização dessa mistura de raças, junto com essa qualidade e cultura internacional. Tudo isso é muito sutil. A perfumaria reflete isso. A fragrância brasileira é multifacetada por essa razão. ”

 

Enflourage

 Enflourage e produção de Malbec em tonéis de carvalho

– Malbec é a primeira Deo Colony do mundo fabricada com álcool de vínico, macerado em tonéis de carvalho franceses. O ingrediente que torna a fragrância exclusiva é o “Living” do vinho Malbec, obtido da maceração. É um processo extremamente sofisticado, para um homem rico em nuances, como um bom vinho. “É fresco, amadeirado e apimentado, com ameixa, carvalho e baunilha”, explica Napoleão Bastos, perfumista da IFF, que desenvolveu a fragrância em parceria com O Boticário.

toneis

 

O que dizem os perfumistas

Para Camila Casemiro, gerente de marketing da Symrise de Perfumaria Fina, “O novo frescor apresenta-se com notas mais naturais (verdes e cítricas) e evolui, trazendo uma elegância e sofisticação quase casual. Duas frentes são reveladas por: uma tradição renovada do mais fresco e moderno, através de notas aromáticas diretas, como lavanda, hortelã e manjericão. E a segunda por um toque pungente de especiarias e aromáticos com a proposta de baixar a temperatura e trazer o máximo do frescor com fragrâncias extremamente geladas – gengibre, limão e salvia em versão “iced” se destacam trazendo infinitas possibilidades.”

Acredito que o Brasil tenha sim uma identidade própria. Temos muitas ervas aromáticas, que caracteriza muito o frescor dessa identidade brasileira temos também uma parte natural, de frutas, com uma suculência que é muito característica desse mercado. Bem diferente dessa parte mais gustativa, mais ‘candy’ que vemos internacionalmente. E essa parte resinosa, meio nut quase, que também temos e que são das várias castanhas que temos no Brasil que nos deixa muito orgulhosos. Conseguimos criar uma identidade que é ao mesmo tempo muito fresca, alegre, vivaz. E ao mesmo tempo, confortável e sensual. Eu acho que é bem essa a alma do brasileiro,” diz Milena Siqueira, gerente de marketing da Mane do Brasil.

O perfumista francês Thierry Bessard da Robertet Brasil tem a sua visão: “Fragrâncias no Brasil continuam tendo duas principais características: Precisam ser frescas e ter cheiro ‘clean’. É quase uma regra. Esse é um dos motivos que a lavanda no Brasil continua funcionando em muitas categorias de produtos mesmo caindo em outros mercados.
Mas o Brasileiro é um povo multicultural o que acaba destacando uma porção de vertentes olfativas, como o frescor do fougère e aromático nos masculinos e os floral leves e orientais inovadores, com características gourmands para os femininos. Na verdade, na preferência dos femininos e masculinos, não temos grandes diferenciações das grandes preferências globais, justamente pelas fortes influencias.

“Na Givaudan, discutimos a preferência das mulheres brasileiras pelos perfumes masculinos por serem mais frescos”, Marion Costero observou que o Brasil é um país com gosto por ambientes abertos. “O uso de perfumaria masculina pelas mulheres foi mais intenso em 20, 30 anos atrás, porque a perfumaria nacional não era tão desenvolvida. Por isso, era natural experimentar outros aromas. Hoje a oferta é muito maior com lançamentos constantes, para todos os gostos e não há necessidade de usar fragrância masculina “.
Por sua vez, Veronica Casanova, perfumista da IFF, é abrangente: “não existe uma identidade olfativa brasileira específica: quando a mágica acontece, o consumidor percebe que essa marca é esse cheiro e que esse cheiro é essa marca

 

*Dados: Euromonitor, consideram cambio constante e Kantar Woldpanel