A apresentação de produtos e serviços on line é um recurso que algumas empresas estão descobrindo e  utilizando largamente como uma ferramenta eficiente para fazer negócios. A Dow Corning, com a sua unidade de negócios virtuais Xiameter e a Eastman divulgaram resultados promissores.

 

“O crescimento de Xiameter em 2002 veio de diversas áreas”, afirmou Michael Lanham, diretor executivo global do site. “Atraímos um número significativo de novos clientes, aumentamos nossa participação de mercado e oferecemos novas aplicações materiais à base de silício. Além disso, Xiameter tornou o silicone economicamente viável em mercados anteriormente não atendidos”. O primeiro ano de atividades do e-business apresentou um crescimento significativo – os produtos que comercializa estão disponíveis em 80 países, contra os 50 registrados no ano de 2001.

De acordo com a empresa, o Xiameter permite oferecer a menor base de preços para grandes volumes, graças à oferta simples e direta via Internet.

O site é constituído basicamente por busca de produtos, entrada de pedidos, mudanças, verificação, acompanhamento de entrega e administração de contas. Os requisitos para os pedidos são claros, com quantidades mínimas e máximas, incluindo carregamento em tambores, containers, carros-tanque ou paletes. A confirmação de envio acontece em tempo real e os prazos para pagamento são claros colocados de maneira prática.

 

Na Eastman o processo de comercialização de produtos on line, assim como o acesso à informações técnicas de matérias-primas, tiveram início em 1999 e registraram cerca de 5% do total geral das vendas da companhia. Em 2002 este percentual subiu para 12% e, em 2003 os negócios on line representaram 20% do total das vendas. Ou seja, nestes últimos dois anos o crescimento acumulado das vendas virtuais chegou a 220%, para transações efetuadas na América Latina.

Os negócios são consolidados através do Costumer Center, onde são feitos os pedidos, personalizadas as faturas, relatórios e acompanhado o  processo de embarque. Os clientes têm ainda acesso a plataforma de serviços integrados, a exemplo das salas virtuais, que permite interagem com mais informações de processos e formulação de seus produtos juntamente com os técnicos da Eastman, nos laboratórios virtuais. Dessa maneira é possível avaliar como reagirão e previamente acessar os resultados e performance de seus produtos.

 

 

Dentro do Costumer Center, os internautas-clientes podem acessar ainda os MSDSs (Material Safety Datasheeet) ou fichas de segurança. Com isso é possível obter toda documentação necessária para o processo de importação e exportação de produtos químicos.

 

“Nosso desafio diário é buscar os fatores que fidelizam nossos clientes, seja pela qualidade de nossos produtos e eficiência nas transações logísticas quanto pela gama de serviços oferecidos”, diz Marcelo Tamura, especialista em e-business – Supply Chain da Eastman para América Latina.    

 

Como última estratégia, a empresa mantém o conceito de store front, que captura e identifica, novos nichos/necessidades de mercado e ferramentas para prospecção de novos clientes.

 

E pensar que há alguns anos tudo isso era inimaginável.