Em cinco anos as exportações brasileiras do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos deram um salto significativo, com um superávit de 102,7% de 1998 a 2002, enquanto as importações decresceram 48,9% no mesmo período. O vigoroso aumento das exportações do setor apresentou o melhor desempenho na economia brasileira, comparado a diversos agrupamentos da economia brasileira: produtos básicos (13,9), Semi-Manufaturados e Produtos Manufaturados em geral (13,0).

Em 2003, os esforços de exportação do setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos foram recompensados com um crescimento de 18,81% sobre 2002, atingindo US$ 224,334m. As importações registraram um valor de US$ 142m, cerca de 4% a menos que no ano anterior, que também apresentou queda. O superávit de 2002 foi de US$ 42,057m, e em 2003 foi de US$ 80,459m, um crescimento de 91,30%.

Sabonetes (crescimento de 53% em relação a 2002), produtos para os cuidados da pele e produtos solares (46%) e desodorantes (42%), foram os produtos que tiveram melhor desempenho nas exportações. Perfumaria registrou um aumento significativo (30%), assim como os produtos para o cabelo (28%), que são a aposta para 2004 da Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos. O segmento de maquiagem (146% de crescimento sobre 2002) é motivo de orgulho, pois começa a tornar-se competitivo mundialmente.

Impulsionadas pela Abihpec e pela Apex-Brasil – Agência de Promoção e Exportação do Brasil, a presença brasileira em feiras internacionais, como a Cosmoprof Bologna (quarta vez consecutiva), NACDS Marketplace, em San Diego (segunda vez), e a estréia na Middle East Gulf Beauty, em Dubai, no final de abril, deverão elevar as exportações do segmento a valores superiores a US$ 260m.

Nada mal para um segmento que começou um movimento de divulgação e promoção de suas exportações há menos de quatro anos. De início foram oito empresas participantes das missões comerciais ao exterior, hoje são mais de 120. Entusiasmadas e decididas, participam de palestras e workshops para apresentar seus produtos e empresas aos mercados externos ‘comme il faut’.

O ministro do Desenvolvimento da Indústria e Comércio, Luiz Fernando Furlan, um especialista em exportações, afirma no Anuário Brasileiro da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, uma outra ferramenta importante no incremento às exportações, patrocinado pela Abihpec e pela Apex-Brasil, que o setor é estratégico para a economia brasileira, porque envolve produtos de alto valor agregado, métodos modernos de produção e comercialização, insumos elaborados do setor químico, com ênfase no design brasileiro. 

A Apex-Brasil vem apoiando técnica e financeiramente a Abihpec em ações como: conhecer mercados, capacitar as empresas, adequar produtos e processos, harmonizar a Legislação Sanitária, ampliar de linhas de crédito e participar de feiras internacionais para incrementar o comércio entre países.

Veja em Entrevistas o presidente da Abihpec falando sobre o esforço de exportação do setor, com um projeto que envolve um grupo de 130 empresários que viajam a países longínquos, promissores para a balança comercial do seto