Apesar de o mercado de higiene oral movimentar quase R$ 3 bilhões, de acordo com a Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumaria -, e de algumas marcas sentirem o impacto da crise, novas marcas estão reagindo com a criação de produtos de qualidade, opções orgânicas, investimentos em tecnologia e preços mais acessíveis.

Levantamento da consultoria Kantar Worldpanel apontou queda de 11 vezes para 10,5 vezes na frequência de compras de cremes dentais pelo brasileiro. Mas, segundo a agência, o cenário é menos negativo que no ano passado e a categoria começou a reagir a partir do terceiro trimestre de 2015, quando redução da frequência começou a diminuir.

Powerdent

Pensando nisso a Powerdent, jovem empresa brasileira que atua na área de higiene bucal, se estrutura oferecendo ao mercado uma linha de produtos de qualidade a valores acessíveis. A empresa está incrementando sua parceria junto aos profissionais da área odontológica e investe no incremento de seu parque fabril e em tecnologia, com a produção interna de máquinas específicas.

“Apesar da crise, posso dizer que vamos indo muito bem. Há 4 meses passamos a vender nossas linhas para a Raia Drogasil e a Drogaria São Paulo, ambas com ampla distribuição pelo país, diz Angelo Lloret, diretor comercial e sócio da Powerdent. Em 2015 a empresa, fundada em 2009, faturou R$ 421 mil apenas com o gel dental Teleco & Teco. Este ano a marca chegou a vender 15 mil unidades/mês. “Focar em um único público garantiu bons resultados e competitividade em relação aos outros produtos disponíveis no mercado,” garante Lloret.

Atualmente os cremes dentais representam apenas 5% das vendas da Powerdent, que também fabrica fio dental, escovas dentais comuns e ortodônticas. Entretanto, Lloret acredita que esse número deverá chegar a 9% até o fim do ano, com o lançamento do gel dental sem flúor Mundo Bita (0 a 6 anos).

“Devido à crise econômica que assola o país a empresa cresceu 30% em 2015, antes disso chegávamos a ter um crescimento de 2 ou 3 vezes nosso faturamento no ano. Na verdade estamos ocupando espaços do mercado, que se modificou com o movimento das aquisições, graças ao nosso foco em qualidade a preços competitivos”, diz Lloret. Com essas medidas ele estima para 2016 um crescimento de 30% em relação aos R$ 12 bilhões de 2015.

Promoções e inovações

Marina Albuquerque, gerente de contas da Kantar Worldpanel, indica que, com a queda na freqüência de compras as versões mais econômicas das pastas de dente são as mais procuradas.

Atenta aos movimentos do mercado, a Suavitex, fabricante do creme dental Contente, passou a oferecer embalagens promocionais leve 4 e pague 3 para a linha Contente. A empresa disponibiliza um portfólio completo de higiene bucal. Mas o seu grande pulo foi investir também no promissor mercado orgânico, com o creme dental Contente Orgânico. “Estamos inclusive retomando com ele o mercado paulista, onde vendemos nossos produtos orgânicos lojas de produtos naturais, farmácias homeopáticas, o chamado ‘canal verde’.”

Ele conta que a empresa descobriu também no Brasil o crescimento desta tendência, que já é bem desenvolvida no mercado externo. “Decidimos então ampliar o nosso portfólio orgânico, e passaremos a produzir também, até o fim do ano, produtos de higiene pessoal, conta Jonas Lima, gerente de marketing da Suavetex, que também produz itens para companhias como a Oral-B e a Dentil.

Ele esclarece que o flúor e outros ingredientes químicos foram substituídos no creme dental orgânico, viabilizando-o para o público infantil, outro target de interesse da empresa. “Nossos produtos são veganos, pois banimos testes em animais“, acrescenta Lima. O grande desafio entretanto, de acordo com ele, é o alto valor das matérias-primas, mesmo que nacionais, são processadas em laboratórios fora do país.