Recentemente uma exposição da Hermès em São Paulo, ressaltou a nobreza e a importância do couro tanto para os esportes equestres, quanto para a moda e o design. Nessa exposição, certo dia chamava a atenção um grupo de perfumistas brasileiros e estrangeiros que atuam no país. O Couro exercia sua sedução. Peças finíssimas em couro, sedosas ao toque, encantavam narizes privilegiados.

Quem diria que o cheiro da pele de um animal estivesse entre os cheiros preferidos da perfumaria…

Se as fragrâncias podem evocar lembranças, sensações e diversos sentimentos, o cheiro de couro de um sapato novo, de uma bolsa, ou do estofamento de um carro novo…pode ativar a nossa memória olfativa.

Tipos de notas de couro

Os diversos tipos de  cheiros de couro têm suas diferenciações. Quem explica é Veronica Kato, perfumista da Natura: “Temos diversos tipos de couro, o clássico é um ingrediente sintético chamado isobutil quinoleina, que lembra uma nota couro mais limpa, com toque floral verde; temos os couros de origem vegetal, os que derivam do cistus labdanum que tem um cheiro mais resinoso e doce; o styrax que deriva da planta Estoraque, que tem um cheiro doce e ambarado; o cade oil proveniente de um Juniperus que tem um lado defumado de toucinho, e finalmente os derivados do alcatrão de bétula que tem um cheiro de couro mais defumado, remetendo a cheiro de carvão e tabaco”.

Nota Animálica

A nota couro tem um caráter que chamamos de “animálico”. E o que isso quer dizer? Quer dizer que ela é criada sobre o tecido couro, e por isso leva seu nome, mas traz também um lado do couro em uso. “É uma nota viva, primitiva e natural. É uma tendência. Por trazer  força e personalidade para uma fragrância, principalmente hoje em dia, com o foco nos ingredientes e em fragrâncias que tragam uma assinatura pessoal. Nós queremos nos diferenciar e por isso queremos ir para as notas olfativas mais ousadas”, diz Luciana Knobel – Head de Criação de Fragrâncias Finas da Symrise. 

De acordo com ela, as tendências em perfumaria são combinações de eventos que acontecem na sociedade com a interpretação das marcas sobre o que acontece. “É uma troca que, para se confirmar, precisa ser aceita de volta no âmbito social.”

“A presença da nota de couro em um perfume pode ser traduzida como intensa, animálica, levemente doce e esfumaçada.” Sua utilização na perfumaria é conhecida por sua intensidade e presença. “Em um perfume masculino, representa a virilidade do homem, ” diz Jeison Moreira , gerente de avaliações olfativas do Grupo Robertet.

Para Veronica Kato, a nota evoca  uma lista altamente atrativa: sensualidade, força, personalidade, elegância, masculinidade,  virilidade.

O Couro na história da Perfumaria

O couro é uma das primeiras notas da história da perfumaria. Remonta do século XVI – quando tanoeiros começaram a perfumar camurça com essências destiladas de flores e ervas. No mesmo século, os fabricantes de luvas da aristocracia francesa começaram a perfumar modelos com óleos, almíscar e âmbar, para tentar mascarar o cheiro – um tanto incômodo e forte – de pele animal. Esse “buquê” popularizou-se – enraizado na tradição de Gantiers Parfumeurs, associação de fabricantes de luvas de couro parisiense, até que perfumar as luvas se tornou um hábito. A partir daí outros fabricantes decidiram inovar e usar outros tipos de notas, como por exemplo, as florais. Foi então que um Rei finalmente pediu para usar essas mesmas fragrâncias no corpo, não só nas suas luvas, e então nasceu o primeiro perfume com notas de couro.

O perfume era Royal English Leather (Creed, 1781). Segundo o site da marca, trata-se da primeira fragrância composta por Creed – luveiro do rei George III – encomendada pela própria majestade, em 1781. Muito tempo depois, Royal English Leather foi comercializado para o público em geral. Trata-se de um chipre couro, com toque de bergamota e mandarina, corpo de âmbar gris e sândalo. Com o passar dos anos diversas casas de perfumaria de renome lançaram perfumes com notas de couro como: Chanel, Balmain, Hermès, entre outras.

Facetas

Veronica destaca ainda a fragrância Chypre, de Coty, que utilizou pela primeira vez o isobutyl quinoleine. E, ainda, a fragrância mais célebre que deu origem à família couro na perfumaria com o uso da bétula de alcatrão: a fragrância Cuir de Russie de Chanel em 1924.

“Hoje nos permitimos  revelar e trabalhar todas as suas facetas, da mais animálica e escura a mais mineral e branca, observamos lançamentos multi-facetados e super estruturados que brincam com notas couros de alta sofisticação,” destaca Renata Abelim, diretora de marketing da drom fragrâncias.

“Suas facetas mais robustas, a la gentleman’s club são associadas a madeiras escuras, notas tabaco ou ambares intensos para o mercado masculino e seus efeitos acamurçados, macios, tons nudes como segunda pele relevam sensualidade nos lançamentos femininos,” destaca, citando os exemplos:

Masculinos Internacionais:

Davidorf
Aqua di Parma – colonia leather
Davidoff Leather Blend

CH Men
CH MEN Carolina Herrera
Ange ou Demon Le Parfum Accord Illicite

MalbecNoir

Masculinos nacionais:

Malbec Noir
SR N Couro

SRNatura

Femininos:
Cuir D’ange, Les Hermenessences, Hermes

HermesGalop
Galop d’Hermès
Fan di Fendi Leather Essence, Fendi
Eau Sensuelle da Bottega Veneta

Fendi

Na Casa de Perfumaria Natura, Veronica Kato cita a nota couro do isobutil quinoleina, usada em grande quantidade no perfume Sr. N, primeiro perfume masculino da marca. “A nota conferiu uma assinatura, couro, verde e de muita personalidade que o tornou um clássico. ”Desde então, ela lembra, a nota couro faz parte de muitas fragrâncias da empresa”.

Lançado em Julho de 2018, Natura Homem, da linha de perfumaria e cuidados pessoais masculinos da Natura, também traz o toque do couro. Descrito como amadeirado, intenso, para ocasiões especiais, traz nas notas de saída: Notas aromáticas (sálvia), especiarias (noz moscada e pimenta preta). Nas notas de corpo: Folhas de violeta, jasmim, âmbar e nas notas de fundo: madeiras nobres (sândalo, vetiver, íris, cedro, cashmeran), copaíba, baunilha, musk, suede (couro). R$ 139,90 (100ml)

Na perfumaria internacional, será lançado na primeira quinzena de Setembro a nova fragrância Bond n° 9 (Revlon) – New Bond Street, que reflete o estilo atual da rua nova-iorquina onde a marca abriu sua principal boutique na rua lateral de paralelepípedos no SoHo em 1999. A fragrância, New Bond Street, é um perfume oriental moderno e gourmand. Abre com bergamota cítrica, pimenta e muguet orvalhada, que é o único floral do perfume. As notas médias são reconfortantes, a começar pelo cacau, e tem ainda a energia dos grãos de café e castanhas cremosas – seguidas por patchouli, baunilha e madeira de sândalo, misturadas com madeira de pele de couro selvagem.

Couro na perfumaria feminina

Nos dias de hoje, o couro já está estabelecido e muito presente tanto na perfumaria masculina quanto na feminina. Porém, percebe-se que, de uns anos para cá, a nota vem ganhando ainda mais relevância na perfumaria feminina, a tal ponto de se tornar uma tendência.

Luciana Knobel comenta a tendência, destacando criações internacionais que revelam, além de muita personalidade, um toque aveludado e suede deste material, que aparece mais sofisticado e sem as notas mais “animálicas” que são comuns ao couro. “Marcas icônicas que possuem estas facetas no DNA são Hermès e Bottega Veneta – que recentemente apresentaram fragrâncias com um toque de couro envelopado por flores e especiarias. São eles: Galop d’Hermès e o Eau Sensuelle da Bottega Veneta”, ressalta Luciana Knobel.

“Assim, a perfumaria segue reinventando e revisitando ingredientes clássicos do passado com um toque de modernidade. Além do desejo de trazer algo mais moderado, feminino e sensual!”