Enquanto no país só se fala de crise, empresas especializadas em produtos para os cabelos, especialmente escovas progressivas e produtos de tratamento, olham em outra direção e encontram mercados interessados na criatividade, inovação e qualidade dos produtos capilares brasileiros, que têm grande demanda nos países árabes. Essas empresas, jovens ainda, encontraram o caminho do crescimento fora do país, mas também querem crescer no Brasil.

De acordo com a Abihpec, a associação do setor, e a Apex, agência de exportação do governo, que promovem em parceria o projeto setorial BeautyCare Brazil, a participação na 21ª edição da BeautyworldMiddleEast (*), realizada em maio em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos traz a expectativa de negócios de US$ 13,2 milhões nos próximos 12 meses. “Esta é a mais respeitada feira da região”, atesta Gueisa Silvério, gerente do projeto Beautycare Brazil. Com ela também abrem-se as portas para os mercados africano e europeu, entre outros.

Três empresas entretanto vem se destacando nesse mercado: Truss, Acquacoco e Sweet Hair, que participou da última edição da BeautyworldMiddleEast.

Fundada em 2011 com a proposta de focar no mercado internacional, a Sweet Hair hoje, exporta para 30 países, entre eles Omã, Kuwait e Arábia Saudita.

“Apesar de usarem burca as mulheres dos países árabes querem ter os cabelos lindos,” diz Vaclave Soukup Filho, executivo de venda internacional da SweetHair. De acordo com ele, há uma conjunção de fatores no Oriente Médio que favoreceram o crescimento dos produtos para os cabelos importados do Brasil: ” No Oriente Médio, onde o clima é muito quente e árido as mulheres têm o cabelo ressecado e maltratado. Os cabelos ficam abafados com a burca e a indústria cosmética local é fraca. Com o alto poder aquisitivo que dispõem, as mulheres da região, que são muito vaidosas, investem em produtos importados, basicamente dos EUA Europa e Brasil”. Assim, as exportações da Sweeet Hair para a região crescem e hoje representam quase 40% do faturamento da empresa. “Nossos produtos têm uma combinação de qualidade, inovação e preços competitivos, em relação aos produtos desses países, ” afirma.

Sweethair3

O xampu alisante The First é o carro chefe de vendas da empresa nesses países. O produto, tem tecnologia patenteada e é compatível com outras químicas. “É composto por um blend de ácidos, que se unem às proteínas simples do cabelo. Através da interação com a fonte de calor, gera o alisamento dos fios,” explica o site da empresa.

Outros produtos da empresa que segundo o executivo de venda internacional da SweetHair tem despertado a atenção das mulheres árabes, são: o Tratamento Efeverscente, de recuperação dos fios, cuja fórmula inclui nanotecnologia e o Shampu em Pó para facilitar o uso pelos profissionais de salão. A empresa tem 150 itens em linha para comercializar no exterior e no Brasil, onde dispõe de uma base de 250 distribuidores.

TrussPXB

Base de exportações na Flórida

A Truss, empresa de São José do Rio Preto, São Paulo, foi fundada em 2003 e suas exportações iniciadas há dois anos já representam 20% do faturamento da empresa. Mas Manuella Bossa, fundadora e CEO da empresa quer mais. “Temos muito interesse na expansão das exportações para os países árabes”, diz. A marca comercializa seus produtos para o Líbano, Jordânia e Emirados Árabes. E ainda Equador, Espanha, Chile, Perú e Estados Unidos, onde tem uma base na Flórida, de onde faz a expansão de vendas fora do Brasil.

No país, onde a empresa tem mais de 100 distribuidores licenciados (cada um com 25 vendedores) a empresa prevê para este ano um crescimento de 12% , mesmo com a retração econômica do país. Uma de suas apostas para atingir a meta é sua nova linha de produtos voltada para o homem, a Truss Barber & Moustache. Com investimento de R$ 3 milhões, a Truss espera que as vendas desses novos produtos representem até 15% de seu faturamento em 2016. Nos EUA a equipe conta com 15 funcionários e 10 distribuidores. Somando-se aos outros países que a empresa exporta são cerca de 30 distribuidores no exterior.

A empresa comercializa no Brasil e no exterior um portfólio de produtos de cuidados para os cabelos, com destaque para os alisantes, voltados tanto para os profissionais de salão quanto para o tratamento em casa. O portfólio inclui ainda produtos para coloração, modeladores e produtos de tratamento em geral. As fórmulas dos produtos são adaptáveis para cada tipo de cabelo, tornando-os adaptáveis à comercialização dos produtos em outros países. “Temos em nossos itens uma fórmula que é nossa ‘Coca-cola’, além de outras combinações com vários princípios ativos, como a nanotecnologia cosmética, uma técnica que propicia efeitos mais eficientes nos cabelos,” diz Manuella.

Acquacoco

Graduações de liso em fórmula natural

O diferencial da Acquacoco, fundada em 2014 pela cosmetóloga Ana Nascimento é uma formulação natural e adaptável para cada efeito desejado.Ex cabelereira e técnica química, a experiência de Ana levou-a a trabalhar como manipuladora em grandes empresas de cosméticos de São Paulo e Rio de Janeiro. Nessa época, ela conta que começou a ter problemas de saúde pelo contato freqüente com o formol. Paraibana de nascimento, Ana teve a ideia de trabalhar em uma fórmula natural à base de um produto abundante em sua terra natal: o côco. Quando chegou à uma fórmula adequada para escova progressiva, montou a Acquacoco, cujo produto carro-chefe da empresa – Detox Acquacoco – tem fórmula à base de polpa do coco verde e o óleo de coco.

“O produto retira resíduos de químicas anteriores e faz um depósito de aminoácidos e ômega 3, promovendo um alisamento natural e com diferentes graduações. Oferecemos um portfólio de alisamento com 9 resultados diferentes,” garante Sthefane Torres, CEO da Acquacoco. “Um deles promove o efeito liso com pontas levemente onduladas. Há resultados diferentes para cabelos afro, cacheado ou ondulado, depende do tipo de cabelo e qual o resultado desejado. Os alisamentos têm duração de 6 meses, com retoque de raiz,” explica. O alisamento natural é composto por um kit com xampu hidratante, detox capilar e bálsamo reconstrutor.

Há 4 meses a empresa percebeu que havia um movimento de procura por seus produtos por parte de países árabes. “A maior demanda foi do Egito onde um distribuidor buscava um produto que conseguisse alisar em 100%, o fio mais grosso dos cabelos das mulheres do país. Passamos então a vender para este distribuidor diretamente. E hoje ele é o nosso braço no Oriente, para entendermos melhor as necessidades deste mercado,” conta Sthefane.

A empresa vai participar da Cosmoprof de Bolonha em busca da expansão das exportações também para o mercado Europeu e americano. Embora o movimento de exportação represente atualmente 60% do faturamento da empresa, a Acquacoco quer crescer também no mercado brasileiro. Para isso, a empresa divulga seus produtos em uma espécie de merchandising, para 2 novelas de TV. Fornece produtos e quando um espectador liga perguntando sobre produtos usados pelas personagens , os atendentes informam o produto. “Em geral os espectadores solicitam a seus cabeleireiros que seus cabelos sejam tratados com o produto utilizado pelo personagem, como uma progressiva com efeito matizador para loiras, uma exclusividade da empresa. Como o produto é para salão e não varejo, apostamos esse tipo de divulgação atinja mais os profissionais de cabelo, diz Sthephane Torres.

A empresa exporta para o Oriente Médio, França Espanha, Itália e para países da África.

*As empresas participantes deste ano foram: Agilise Cosméticos; Anna Haven; Beox; Bionat; BioNaturApi; BrazilianOils; BrazilianSecrets Hair; De Sírius; E-CosmeticsSalón; G Nano; Goz Cosméticos; HonmaTokyo; Ideal Cosméticos; Kaedo Cosméticos; KostumeBeautyForm Brazil; Macaúba Brasil; Nazca Cosméticos; NG de France; nuNAAT; ProlabCosmetics; Realgem’s; Skafe; Sther Cosméticos; Sweet Hair e Tech Line.