A cada dia os homens assumem cada vez mais a vaidade e passam a ser foco atraente para a indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPPC). Diferentes estilos de vida determinam hábitos de cuidados pessoais e perfumaria, tanto que agências de pesquisas começam a delinear o perfil desse novo consumidor, que hoje tem características bastante diferentes de dez anos atrás, mas que apontam limite para a  vaidade masculina.

É o que detectou pesquisa online do Instituto Qualibest, especialmente elaborada para a Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosméticos, que detectou no ano passado um crescimento de 2,4% no mercado masculino, representando mais de R$ 21 milhões do faturamento total do setor.

O levantamento apontou que 43% dos 425 homens entrevistados das classes sócio econômicas A, B e C consideram-se supervaidosos. Aí está o novo homem, sem medo de assumir sua vaidade.

Para melhor avaliar essa vaidade, o Instituto Qualibest elaborou uma pesquisa comparativa por idades, e hábitos e atitudes, compilando dados de 191 homens da geração Z – entre 14 e 20 anos e 234 homens da geração X, de 35 a 45 anos.

“Fizemos um post no Facebook para entender qual o conceito dos internautas em relação à vaidade masculina”, explica Raul Porto, executivo da Qualibest. De acordo com ele,  ficou evidente na pesquisa que as duas gerações consideram que a beleza não é um atributo a ser perseguido exclusivamente pelas mulheres. “82% dos respondentes acham que homem tem que se cuidar, porque isso traz benefícios pessoais e também conforto”, diz. Outro item que se destacou na pesquisa, foi o próprio conceito de vaidade, considerada pelos entrevistados como algo que tem um limite, com a justificativa de que ela passa a ser arrogante ou ultrapassa o limite da masculinidade.

Cheiros revisitados para novos perfis

A pesquisa revelou que de longe o perfume é o item de maior penetração, com 81% dos entrevistados concordando que o perfume é fundamental no dia a dia, com penetração de 76% entre os mais jovens da geração Z e 85% entre os mais maduros da geração X. Os cabelos também merecem atenção por parte dos homens, com Z 53% e X 72%. Os hidratantes estão em terceiro lugar com Z 30% e X 37%. Já o protetor solar não tem a mesma e necessária penetração: apenas 18% entre a geração Z e 32% entre os homens da geração X.

A  casa de fragrâncias alemã Drom lançou recentemente sete novas propostas em fragrâncias, com criações exclusivas, no evento Homem Brasileiro 2016, que discutiu a relação do homem atual com a moda, beleza, design e comportamento. Assim, a empresa apresentou o habitat urbano de sete estilos de homens diferentes com imagens – recortes de um espaço quarto e sala – onde objetos decorativos e pessoais que revelam estilos, se misturam com o olfativo.

“Na verdade organizamos os moodboards com características presentes nesses “perfis” / apartamentos e os enviamos para os perfumistas no mundo todo, encaminhando algumas direções olfativas, depois selecionamos em blind olhando para os moodboards e imaginando esses masculinos,” diz Renata Abelin, do marketing da Drom.

Como resultado, o apartamento 01, por exemplo, das grandes cidades, onde fluem graffiti, skate e luz neon, a criação da perfumista Anne Gautier apresentou a composição citrus, green, fruity, rhubarb, spicy que emerge como uma vitrine para as grandes cidades. De acordo com a casa de fragrâncias alemã, “a eletricidade no topo da fragrância é devida a combinação Laranja e Ruibarbo, o coração frutado abre-se para uma estrutura mais genderless enquanto que o fundo de Pimenta Preta e notas Amadeiradas aquecem o mood cosmopolita casual.”

O apartamento 02, de ilustrações naturais e ambiente sessentista, mas de acabamento moderno , representou o perfil easygoing para a criação olfativa do perfumista Olivier Paget, com woody, earthy, ambery, dry herbs, floral, musk. “Na onda do “quanto mais natural, melhor” vemos as notas de saída com Talos de Ruibarbo rejuvenescendo o blend seco de Patchouli e Sálvia. O coração floral de Magnólia finalizado na resina de Fava Tonka responde pelo flerte retrô do blend,” de acordo com a Drom.

Outras representações foram um ambiente esportista, de perfil mais energético, representado por Lavanda, Espinheiro Branco, Flor de Noz-Moscada, Cedro e Bergamota na saída; Madressilva, Sândalo, Folha de Violeta e Cedro nas notas de coração e Fougére Ambarado para a base forte. O ambiente vibe rock, em que a direção olfativa misturou materiais como couro, vinyl e metais para manifestar atitude e mistério, com uma fragrância ambarada encorpada que reflete o cheiro de jaqueta de couro surradas, onde madeiras secas e nobres estruturam as combinações modernas de especiarias, além de alguns traços aconchegantes do Oud, que ilustra o lado metálico das cordas da guitarra elétrica.

Para um perfil aberto ao mundo, ousado e extravagante, uma cologne de Luis Paulo Natividade, um acorde clássico da perfumaria modernamente repáginado, onde o topo cítrico contém Bergamota, limão siciliano, tangerina e hortelã. As notas de coração levam Lavanda, Flor De Laranjeira, Néroli E Lírio-Do-Vale e nas notas de fundos estão presentes Musk, Ambar e Madeira. Para o ambiente sóbrio, uma criação com saída de Bergamota e Mirtilo é imediatamente conectada ao coração onde Grãos de Café Torrados, Chocolate E Avelã estão combinados. Para um fundo nobre, as notas Couro E Cedro ficam evidentes.

Por fim a criação olfativa com um quê das narrativas da Nouvelle Vague – inesperadas e com nuances de suor e sedução, representadas por notas Amadeiradas com o Alcaçuz, de onde emerge um topo poético. O coração de tonalidade feminina exala Jasmim, Violeta e Cedro sugerindo uma companhia para esse homem e a combinação que dá profundidade à composição tem Fava Tonka, Vanilla e Ambar.