A Avon Products, Inc., multinacional de venda direta de produtos de beleza, anunciou hoje seus resultados para o quarto trimestre e do ano fiscal encerrado em 31 de dezembro de 2016.

A receita no Brasil aumentou 2% em dólares constantes, impulsionada principalmente por pedidos médios mais altos. Os impostos sobre valor agregado (IPI) impactaram negativamente o crescimento da receita em dólares constantes do Brasil em aproximadamente 3%. Os resultados do quarto trimestre do ano passado foram bem diferentes. O Brasil conseguiu aumentar em 27% a receita, muito por conta do aumento dos pedidos.

No quarto trimestre, a Avon ganhou participação de mercado significativa em maquiagem, fragrância e cuidados com a pele. A empresa investiu em fragrâncias, com lançamentos bem-sucedidos, como Avon Life, criada em parceria com o designer Kenzo Takada, e fragrância Avon Attraction. O Brasil foi um dos países a conquistar mercado em 2016, diz a empresa.

Com isso, o último período de 2016 apresentou aumento de 9% da receita da marca na América Latina. Apesar disso, globalmente, a receita da empresa no período recuou 2%, gerando um prejuízo líquido da ordem de mais de US$ 1 bilhão em 2016.

Globalmente, a empresa apresentou queda de 1% no número de revendedoras ao longo de 2016. Apesar disso, o número de pedidos cresceu 4% em relação a 2015. “A companhia fez grandes progressos em 2016, o primeiro ano de execução do plano de transformação, iniciado para permitir a empresa de alcançar seus planos de longo prazo”, afirmou em relatório, Sheri McCoy, CEO da companhia.

O plano de transformação da marca começou em janeiro do ano passado e inclui três pilares: investimento em crescimento, redução de custos em um esforço de continuar a melhorar a estrutura de custos e aumentar a resiliência financeira da companhia. “Assim como caminhamos em 2016, nós estamos agindo para entregar uma performance consistente em nossos mercados, com representativo engajamento como prioridade-chave para o crescimento, enquanto continuamos navegando através das mudanças econômica e política globais”, afirmou a executiva.

Em três anos, a companhia espera investir US$ 350 milhões em negócios, sendo que US$ 150 milhões serão em mídia e venda e US$ 200 milhões relacionados a transformação no modelo de serviços e informação tecnológica.

O Brasil também lançou uma nova plataforma digital para melhorar o engajamento das revendedoras e facilitar o trabalho delas com a Avon. Esta é uma plataforma digital altamente integrada que lhe proporciona novas capacidades, incluindo capacidade de resposta móvel, melhor colocação de pedidos, upsell e cross-sell com capacidade de integração em redes sociais, vídeos de formação, gestão de crédito, gestão de dados, um retorno online acessível e fácil processo de troca. A plataforma terminará de ser implementada no primeiro trimestre de 2017.