A Avon informou, nesta quinta-feira (03), que registrou um prejuízo de US$ 45,5 milhões no segundo trimestre, revertendo o lucro de US$ 33,3 milhões obtido no mesmo período do ano passado. A receita recuou 3,3% de abril a junho, para US$ 1,35 bilhão.

O Brasil é o principal mercado da Avon no mundo e a alta do real em relação ao dólar favoreceu os resultados da empresa com a expansão da receita em expandiu em 7%.

A empresa registrou alta de 26% na receita das vendas de seus produtos no Brasil em dólar, quando comparado ao mesmo período do ano passado. Em reais, os valores subiram 2%.

O balanço global da empresa mostra que sua margem operacional caiu de 2,9% para 1,3%, afetada por inadimplências, principalmente no Brasil, decorrente de ajustes nas remunerações de ações e custos maiores com transporte.

De acordo com a companhia, “os dados eram esperados”. “O primeiro trimestre está em linha com nossas expectativas e nós continuamos confiantes em nossa estratégia e no progresso do nosso plano. Estamos no segundo ano de um plano de transformação de três anos” disse Sheri McCoy, presidente da Avon, que anunciou hoje sua saída da empresa, o que deverá ocorrer efetivamente em 31 de março. Enquanto isso, ela disse, a Avon deverá manter o foco em investimentos, inovações e no aumento do engajamento dos representantes, mantendo rigorosa disciplina de custos.