Reconhecida no mercado como a maior fornecedora de ingredientes naturais provenientes da biodiversidade brasileira para as indústrias de cosméticos e cuidados pessoais, a Beraca (Grupo Sabará e Clariant) expande sua fábrica em Ananindeua, no Pará, investindo em uma tecnologia inovadora para a produção de extratos, bioativos e compostos aromáticos

A ampliação é uma aposta da empresa no aumento de seu portfólio por meio da incorporação de novas tecnologias, baseadas em um complexo bioextrator multipropósito, que atenderá a uma demanda do mercado, sem abrir mão da sustentabilidade que a empresa pratica.

“Na Beraca, buscamos expandir por meio de investimentos em pesquisa, inovação e tecnologia. Isso significa abrir ‘novas avenidas para consolidar a nossa atuação no mercado’, mantendo e aprimorando nossa qualidade e ingredientes diferenciados e exclusivos. Esse posicionamento nos permite ampliar nosso portfólio e, assim, conquistar novas parcerias e solidificar a relação com os atuais clientes”, esclarece Daniel Sabará, CEO da Beraca.

Todos os frutos, sementes e demais insumos vegetais usados atualmente na fábrica para a produção dos óleos, manteigas, minerais e ativos, entre outros itens, são colhidos ou coletados por comunidades agroextrativistas localizadas nos mais diferentes biomas do Brasil.

A empresa criou o Programa de Valorização da Sociobidiversidade® para que estes grupos atuem sob sua chancela, para garantir a rastreabilidade de matérias-primas, práticas de campo sustentáveis envolvendo as pessoas e a natureza, além de assegurar a ética e o respeito na fabricação e no fornecimento de ingredientes.

A nova planta da Beraca conta com tecnologia multipropósito, capaz de processar tanto produtos da biodiversidade local, quanto outros ingredientes de origem natural, demandados pelo mercado. A partir da extração de folhas, raízes, resinas, óleos vegetais, entre outros, uma vasta gama de bioativos e diferentes compostos poderá ser produzida.

Com isso, além do extenso portfólio de óleos e manteigas, a companhia passará a contar com linhas de extratos e ingredientes aromáticos, muitos deles inéditos no mercado, com padronização de ativos e comprovação da atividade biológica por meio de testes de eficácia e aplicação.

O posicionamento é de biorrefinaria e de resíduo zero voltado para o pleno aproveitamento das espécies. A tecnologia possibilita, inclusive, o processamento da biomassa residual produzida.

“A nova planta é um marco na história da Beraca. Por se tratar de uma estrutura inédita no Norte do Brasil, ampliamos, de forma pioneira, nosso leque de insumos, passando a oferecer um serviço customizado e diferenciado para nossos clientes, além de promover o desenvolvimento socioeconômico da região”, acrescenta Sabará.

Mercado

O mercado de extratos apresenta atualmente uma carga de crescimento projetada em 9,1% ao ano até 2025 e chegará a um faturamento de 5.8 bilhões de dólares até 2022, segundo a pesquisa Global Botanic Extracts Market, da Data Bridge Market Research. O Brasil é o quarto maior produtor de extratos, atrás apenas da China, México e Índia. Frente a esse cenário que já é promissor, a nova planta da Beraca certamente contribuirá para o crescimento do setor não apenas no Brasil como mundialmente, colaborando com a alavancagem da posição global do país.