O empresário Daniel Fonseca de Jesus, que vendeu a Niely , indústria de produtos para os cabelos, em especial colorações, para a francesa L´Oréal, por mais de R$ 1 bilhão, após o término do período de “quarentena” (5 anos, cláusula de não competição) do empresário na L’Oréal, retorna ao mercado cosmético com nova marca, para atuar novamente em cabelos e em coloração.

Ele disse ao jornal Valor econômico que em cinco anos pretende ter 10% de participação do mercado de coloração e tratamento. A ideia, segundo contou ao jornal, é investir pesado em marketing, publicidade e campanhas em pontos de venda e, bem ao seu estilo, contratar como porta-voz da marca uma atriz da Rede Globo.

O nome da marca ainda é segredo, mas o produto que deverá impulsionar as vendas da nova empresa será uma tintura cor creme, que fez a Niely faturar em 2014, quando foi vendida, R$ 540 milhões. Para essa missão, o empresário contratou assessorias do país e do exterior que desenvolverão os produtos. O empresário aposta ainda no diferencial a que se propõe imprimir à nova marca: distribuição e qualidade, além do foco no mercado massivo.

Daniel, que nunca se aposentou, está investindo R$ 10 milhões na construção de uma sede para a nova empresa e sua holding, a Milano, em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro. Além do cargo de vice-presidente do comitê estratégico, que ocupou na L’Oréal no período de quarentena, sua holding tem participação no Taco Bells, na Eleva, na Cultura Inglesa e em um empreendimento de 1,2 mil imóveis em Nova Iguaçu (RJ), entre outras.