1 – Como se manter atualizado com as mais recentes tendências e inovações da indústria?

A melhor maneira é ficar de olho nos lançamentos de produtos finais, sobretudo manter contato com fornecedores de matérias-primas e seus lançamentos. Isto pode ser feito facilmente ao participar de exposições do setor, como a in-cosmetics onde se pode ver inovações; encontrar centenas de fornecedores e seus últimos lançamentos para a indústria; também pode-se discutir novas técnica em formulação com materiais já existentes para se criar novos resultados sensoriais e muito mais. Há também as apresentações da Mintel nesses eventos em que se fala de tendências e previsões de mercado. É possível acompanhar a evolução das tendências e ligá-las à matérias-primas sendo lançadas sobretudo pode-se pensar em ideias criativas e novas ideias de produtos e acessar os materiais necessários para criá-las. É a parte mais interessante dessa indústria e o que um formulador deveria estar fazendo para se manter moderno e atual com suas formulações.

 

2 – Como o seu estudo apresenta as principais e mais interessantes inovações ou ativos de valor de todo o mundo para a in-cosmetics, você pode nos dizer, se já selecionou alguns produtos que a indústria vai ver na in-cosméticos América Latina?

Estas são minhas escolhas top até agora para o próximo evento:
Apolluskin da Silab
Blumilight biofunctional da Ashland
Dub 810C da Stearinerie Dubois (distribuida pelanFocus Quimica
Neodermyl da Givaudan
Ridulisse C Bio da Silab

 
3 – O que você tem visto em termos de sistemas de entrega?

Há muitos nanoativos sendo distribuídos no Brasil do que vi no ano passado. O ano passado vi produtos incríveis das empresas brasileiras NanoVetores and Inventiva, estas empresas utilizam nanopartículas lipofílicas, lipossomas, gotas de nanoemulsões e microemulsões na fase oleosa para permitir o ‘embalo’ e o aumento da entrega de uma variedade de ingredientes ativos.Estes ativos incluíam extratos, proteínas e vitaminas especialmente embaladas numa forma de nanomaterial para não apenas estabilizar o material interno, mas também assegurar que ele permaneça ativo em produtos finais e tenha uma entrega potencializada para os consumidores que desejam eficácia avançada de seus produtos.

 
4 – Como este ano o mercado falou muito sobre o mercado masculino, em termos de cuidados com a pele, os homens têm a mesma diversidade de ativos disponíveis, sistemas de entrega ou mesmo cosmecêuticos especiais como as mulheres têm? você pode mencionar alguns?

Os homens precisam que seus produtos sejam formulados de maneira diferente dos produtos para mulheres, a mensagem de marketing deles precisa continuar simples e direta ao ponto e os produtos precisam ter sensação leve de absorverem facilmente. Definitivamente não há tantos ativos direcionados para os homens; na verdade, há apenas alguns, E eles geralmente focam em matificar a pele, em fazer a pele parecer mais energizada e com controle de oleosidade. Enquanto eles podem usar os mesmos materiais anti-idade que as mulheres usam, a história de marketing precisa ser adaptada ao consumidor masculino para atender às suas necessidades específicas na formulação e história.

 

5 – A brasileira Chemyunion vai apresentar na in-cosmetics seu ativo Biolumita, um uniformizador da cor e a bleaching e um uniformizador de tom extraído do rizoma de gengibre chinês ginger rhizome. Você acredita que as empresas têm de agora em diante só esse caminho natural, orgânico ou vegano?

Não, não acredito nisso. As empresas ainda estão lançando materiais com base em seu desempenho para atender às suas filosofias. Por isso, algumas empresas favorecem nanomateriais; alguns peptídeos; algumas favorecem a atividade seja ela de fonte origem natural ou sintética e algumas se especializam em apresentar ativos naturais com características de desempenho que os materiais sintéticos rivais. Ativos naturais são comercializados no seu natural; não vemos ativos naturais criados para substituir versões sintéticas, como fazemos com materiais funcionais. Ativos são tanto de origem natural; semi-natural com um componente sintético ou de origem sintética – mas a seleção é baseada na filosofia da empresa e no desempenho do ativo ao contrário do que vemos em materiais funcionais.

 

6 – Considerando que na in-cosmetics haverá um laboratório de Formulação, e que segurança seja uma pré-condição em cuidados com a pele, como os laboratórios podem estabelecer cálculos e avaliações corretas para fornecer ao mercado, por exemplo, segurança e eficácia em cosmecêuticos que normalmente tem maiores concentrações de ativos?

Os materiais apresentados provaram eficácia e segurança quando utilizados como adequados para produtos de cuidados pessoais. Por exemplo, a água é letal se você inalá-la, por isso, quando um material é usado de maneira correta em um cosmético, ele não apresenta qualquer grande preocupação de segurança – mas deve ser usado corretamente e em um laboratório que só permite químicos qualificados.

 
7 – No site do Instituto de Ciência Cuidados Pessoais que você gerencia, existem cursos, incluindo formulações de proteção solar. Quais seriam esses regulamentos essenciais sobre produtos terapêuticos e verificações regulamentares que devem ser realizados no início da fase de desenvolvimento?

É preciso uma unidade inteira para ensinar sobre os controles de regulação, não é possível explicá-los em poucas palavras, a não ser para dizer que deve eles dever ser feitos no início do desenvolvimento ,de outra forma o resto da fase de formulação / desenvolvimento poderia ser um desperdício de tempo se não forem realizados antes de qualquer trabalho de laboratório.