1 – Porque a marca feito brasil (grafia em letra minúscula) criou uma linha de sabonetes com o tema insetos? 

A coleção em questão, que se chama Jardim das Luzes, nasceu com a proposta de trazer um Natal brasileiro regional. A ideia partiu de nossa diretoria criativa por conta da cultura regional em alguns estados brasileiros, de que o besouro traz boa sorte, assim como a libélula e o vagalume, de trazerem boa fortuna. Trouxemos essa cultura para a linha e ela foi a temática de toda a campanha de Natal da feito brasil, porque essa cultura de boa sorte dos insetos existe ainda hoje em nossa região (Maringá, estado do Paraná).
Com ela também apontamos para o meio ambiente. Hoje se você parar para pensar, não se vê mais vagalumes nas cidades grandes por conta da poluição. Fazemos então uma espécie de resgate, para que as pessoas fiquem ligadas que esses pequenos insetos, que representam todo um habitat, estão desaparecendo.

feitobrasil

2 –Como a feito brasil se transformou em Casa feito brasil?

Dentro da feito brasil, nós tínhamos um produto que tinha um excelente desempenho, sem outro similar no mercado: a nossa máscara de argila facial, da coleção Segredos de Camarim. Diante disso, percebemos que havia aí um nicho no mercado de dermocosméticos, com o uso da Argiloterapia. Assim surgiu a Quintal Dermocosméticos, que já em sua primeira linha (Terra de Cores), traz a proposta de aliar plantas da medicina tradicional, Argiloterapia e a nanotecnologia, em uma escala segura de 200 nanometros, que penetram os ativos na pele para atuarem por muito mais tempo.
Então, como já tínhamos a marca feito brasil, colocamos as duas marcas dentro de uma mesma Casa: a Casa feito brasil.


3 – Como a Sephora passou a vender produtos da Casa feito brasil?

Apresentamos a marca Quintal Dermocosméticos e a feito brasil à varejista internacional e eles gostaram muito das nossas propostas de sustentabilidade e de resgate das tradições culturais do Brasil.
A proposta das marcas é muito de vanguarda: não fazem uso de silicones, parabenos, derivados de petróleo ou de animais. A Quintal Dermocosméticos é uma marca vegana e sustentável, produzida com as argilas brasileiras, ativos nanotecnológicos brasileiros e extratos de ervas dos quintais brasileiros (alecrim, sálvia, babosa, etc) . Tudo isso agradou muito à Sephora, que acabou lançando a marca. E ela acabou se tornando um grande sucesso de vendas. Ficamos entre as 10 marcas de skincare mais vendidas na Sephora, já no primeiro ano. Um feito para uma marca brasileira.

4 – Quando vocês deram início à feito brasil, que deu início a tudo isso?

Desde 2005 tínhamos uma indústria de cosméticos: a Naturytha. Em 2011 eu saí de uma sociedade e criei a feito brasil. Em 2012 meu filho, com apenas 16 anos veio trabalhar comigo e aí sim montamos a marca.

5 – Mas houve um tempo em que você era No Compete e não podiam vender os produtos do feito brasil. Como então vocês comercializavam a marca e a levaram adiante?

Esse foi um período bastante difícil, que foi a partir de 2011 quando eu saí dessa sociedade e assinei um contrato de não concorrência no varejo por 5 anos, até o fim de 2016. Durante esse período fomos impedidos de praticamente tudo: fazer associação com outras empresas, prestar assessoria, vender para redes de supermercados, farmácias, ter representantes. Só sobrou mesmo a Internet e o televendas. Nos agarramos a estes canais vendendo para todo o Brasil durante esses 5 longos anos. Por isso fomos low profile de início. Estávamos incubados, mas aprendendo muito.

6 – Mas ainda assim vocês ganharam prêmios nesse período…
Sim. No Brasil e no exterior. A partir de 2013, com a entrada na Sephora e de 2014, com os prêmios de reconhecimento, começamos a propagar nossa marca, estruturar a empresa para mostrá-la ao mundo, que é o momento que vivenciamos agora: os passos da internacionalização da marca.

7 – Além da Sephora para aonde mais vocês vendem?

Por enquanto, além das lojas e do e-commerce da Sephora, temos os nossos dois sites – feito brasil e Quintal Dermocosméticos. Temos planos futuros de vender em lojas próprias, mas no momento estamos nos preparando para a internacionalização da marca e para a expansão. Porque agora chega de amarras, estamos livres.

8 – Vocês pretendem abrir lojas conceito?

Sim. Algo que vem muito ao encontro da proposta que temos da Casa feito brasil, mas daremos um passo de cada vez, fazendo as coisas com muita consistência.

9 – Vocês chegaram a vender para pequenas lojas nessa época que vocês não podiam vender para o varejo tradicional?

Sim. Exatamente. Mas não deu muito certo, porque você imagina como é encontrar parceiros de negócios que você não conhece, não poder ir até eles. Então propagar todo o conceito de uma marca com todo esse peso e essa força que a feito brasil tem, de empoderamento feminino, de equidade de gêneros, de sustentabilidade, de responsabilidade social através do nosso processo de produção… As pessoas não entendiam essas coisas à distância. Nem mesmo enviando publicações explicativas.

10 – Como vocês faziam então?

Nos comunicávamos através de manuais para cada coleção que fazíamos, explicando o porquê dessa fragrância, desses ativos, de onde veio a inspiração, era uma catequização. As lojas não entendiam isso. Por isso sentimos a necessidade de procurar uma rede, um veículo que propagasse muito bem esses valores. E nesse percurso encontramos a Sephora.

11 – O que a entrada na Sephora mudou para vocês?

Encontramos um bom público e a partir daí começamos a fazer um trabalho muito bem estruturado dentro da rede para divulgarmos nossas marcas. Com o lançamento da Quintal Dermocosméticos nossas vendas cresceram 92% no primeiro ano, 65% no segundo e olha que a marca tem apenas dois anos de vida.

12 – E a outra marca que vocês tinham em 1999, a Naturytha, ela tinha mais ou menos as características da feito brasil?

Ela foi a mãe da feito brasil. Ela trazia em suas fórmulas 12 ativos naturais em grandes concentrações em produtos capilares, com desenhos e ilustrações botânicas. E veio para concorrer com marcas importadas, o que mais tarde acabamos fazendo com a feito brasil. É uma marca pela qual eu tenho um grande carinho, porque foi a nossa primeira marca.

13 – Foi essa a marca que foi comprada?

Sim foi absorvida, mas ficou todo o expertise que adquirimos daquela época.

14 – Vocês escolheram ter embalagens e caixas diferenciadas das do mercado?

O design é um pilar forte nas marcas feito brasil e Quintal Dermocosméticos. A valorização da arte, da cultura estão sempre presentes. Elas são ricas em ilustrações, trabalhadas em facas, recortes. Temos muita atenção a esses detalhes porque somos apaixonados por arte e cultura brasileiras: Jardim das Luzes, Insetos, Aromas em cordel, Segredos de Camarim (os teatros nacionais), Essencia Musical (músicas brasileiras). Já para a Quintal Dermocosméticos trazemos um referencial mais clean, mais dermocosmético. Se bem que, na verdade, dermocosméticos mais coloridos, com suas ervas nas embalagens.

15 – E essas coleções trazem que tipo de produtos?

Os produtos da feito brasil são destinados à experiência do banho brasileira, então são sabonetes líquidos hidratantes, sabonetes perfumados. E a Quintal Dermocosméticos traz produtos para o rosto, na linha Terra de Cores, máscaras, hidratantes, demaquilantes, esfoliantes, bálsamo primer, antisinais e argilas coloridas com efeitos específicos e na linha Rochás, Espuma Demaquilante de Limpeza Profunda, Blemish Blur, Bálsamo para Imperfeições, Primer Redutor de Poros e Goma Esfoliante Facial.