1 – Como essas ideias surgiram?

Tudo começou com o rastreamento de características faciais, que é a tecnologia para um programa de computador saber exatamente onde os olhos, lábios e rosto estão localizados em uma imagem. A partir daí, surgiu a ideia de não apenas rastrear as características faciais, mas também de “modificá-las” para que efeitos diferentes, como um produto para a pele ou maquiagem, pudessem ser simulados. O ModiFace foi o resultado final.

 

2 – O sr. viu um caminho para o futuro dos serviços de maquiagem?

Sim, o futuro com realidade aumentada e inteligência artificial tem um potencial significativo. O plano exato é confidencial e não pode ser compartilhado, mas estamos muito animados com o que está por vir.

 

3 – Esta tecnologia foi perseguida desde o início ou tornou-se algo além, percebido como útil à indústria?

A ideia original era principalmente rastrear as características do rosto e as características faciais, mas o potencial para a indústria da beleza logo ficou muito evidente.

 

4 – O sr. imaginou algum outro uso para essa tecnologia ou um desenvolvimento futuro que seguiria esse caminho?

Acreditamos que esta tecnologia tenha um potencial significativo para a indústria da beleza e, embora os planos futuros sejam confidenciais, acreditamos que muito mais em breve virá nesta área.

 

5 – O que o sr. imaginou que as empresas poderiam fazer com a maquiagem virtual em 3D. Há outros usos para essa tecnologia?

Existem muitas aplicações e adaptações em potencial. Por favor, fiquem atentos ao que a equipe combinada da ModiFace e da L’Oréal criará em conjunto nos próximos meses e anos.