A Mintel aponta que Beleza e Cuidados Pessoais, e Itens para Cuidados da Casa no Brasil são alguns dos setores que devem ter um crescimento consistente nos próximos anos.

“No meio do atual cenário econômico brasileiro de crise há como destacar algumas oportunidades de mercado, principalmente nas áreas de Beleza e Cuidado Pessoal, e Produtos para a Limpeza da Casa. Essas categorias ainda terão boas projeções de crescimento até 2019, mesmo que numa escala menor do que no passado, mesmo que o consumidor esteja optando por produtos mais simples e básicos”, afirma Renata Moura, analista sênior de Pesquisa de Consumo, da Mintel.

Entre 2015 e 2019, o mercado de Beleza e Cuidados Pessoais deve continuar a crescer, mas com taxas moderadas, quando comparadas com números dos últimos anos. A Mintel aponta que o crescimento médio anual entre 2015-19 deve ser de 10,2%, atingindo os R$ 107,30 bi em 2019, contra um crescimento anual de 13% entre 2010-14. Esse crescimento menor é causado principalmente pela alta da inflação, dos impostos, desaceleração do crédito e renda. No entanto, a categoria de cosméticos mostra o maior crescimento quando comparada com outras área de consumo, 63%, entre 2014 e 2019.

“O momento econômico atual, de inflação alta e desaceleração da economia, afeta o setor de cosméticos, cujo crescimento para os próximos anos será moderado, mas ainda constante. Em época de crise, as pessoas tendem a cuidar mais de si mesmas com mais frequência, a fim de esquecer os problemas. Acreditamos que o Brasil vai passar pelo “lipstick effect”, termo cunhado em 2001 por Leonard Lauder, da empresa de cosméticos Estée Lauder. Como batons são um dos produtos mais baratos, assim como esmaltes, eles ainda são acessíveis em tempos difíceis e podem ser vistos por muitos como um “agrado”. Para complementar, as oportunidades de crescimento também estão nos consumidores cientes da importância em cuidar de sua pele e que procuram por itens inovadores”, explica Renata Moura.