Para aperfeiçoar a experiência das consultoras e consumidoras da marca, a Natura desenvolveu um dispositivo que analisa o nível de dano dos cabelos.

O diagnóstico é realizado a partir de um aplicativo, que conta com questionário sobre hábitos e estrutura capilar combinado à análise de uma foto do cabelo da consumidora.

Para analisar a estrutura do cabelo, a imagem deve ser capturada com o auxílio do dispositivo desenvolvido pela Natura, acoplado à câmera do celular. A combinação de lentes portáteis (lente do celular e lente do dispositivo) permite a análise de mechas do cabelo com os fios ampliados, como em um microscópio.

O dispositivo é capaz de prender uma quantidade adequada de cabelo de cada consumidora no jogo de lentes, padronizar a iluminação e aumentar a imagem obtida, foram meses de trabalho. A padronização é importante para que o algoritmo possa fazer a análise adequada dos fios.

“O aplicativo armazena as imagens e as respostas das consumidoras, envia os dados para análise em nuvem e ao final recomenda produtos. Para tudo isso acontecer, trabalhamos por mais de 5 anos e temos uma experiência de 18 mil imagens de fios de cabelos analisadas e armazenadas em nossos laboratórios”, conta Daniel Gonzaga, diretor de Inovação em Produtos da Natura.

As imagens dos fios de cabelo foram utilizadas para “treinar” o algoritmo, que consegue fazer o diagnóstico de cada foto enviada para análise. Por se tratar de um algoritmo com machine learning, quanto mais interações ocorrerem, mais preciso fica o diagnóstico.

Após a avaliação em tempo real da saúde dos fios, o aplicativo indica quais são os produtos da Natura mais adequados para cada consumidor, de acordo com o dano do cabelo.

“O desenvolvimento da solução faz parte da estratégia de transformação digital da Natura, que busca dar instrumentos para que as Consultoras de Beleza ofereçam serviços cada mais diferenciados para os consumidores, por meio de novas tecnologias desenvolvidas in-house. Gerar experiências que tragam valor para o serviço de consultoria é fundamental”, afirma Luciano Abrantes, diretor de Inovação Digital da Natura.

O dispositivo passa pela fase final de testes antes de ser lançado oficialmente ao mercado.