A fabricante alemã de cosméticos Beiersdorf, dona da marca Nivea, começou a produzir desodorantes em aerossol no Brasil, substituindo as importações que fazia da Argentina. Desde 2017, a empresa investiu 300 milhões de reais na ampliação de sua fábrica em Itatiba (SP), onde passou a fabricar esses produtos. Com as obras de ampliação, inauguradas na sem ana passada, a capacidade produtiva anual será dobrada para 280 milhões de unidades de diversos produtos, sendo metade delas de desodorantes em aerossol. A outra metade é de itens que já eram produzidos no Brasil.

As instalações, ampliadas em 18 mil metros quadrados, contam com 16 máquinas interligadas em duas linhas de produção, capazes de produzir 600 latas de desodorante por minuto. Antes, 60% desses itens vinham da Argentina e 40% eram feitos por terceiros no Brasil. Com a transferência, a unidade paulista passa de importadora a exportadora para oito países do Cone Sul. A produção na Argentina foi encerrada.

O Brasil é o segundo maior mercado consumidor de desodorantes no mundo. O movimento no ano passado, considerando todas as variedades, como spray e roll-on, foi de 11,57 bilhões de reais. Nos Estados Unidos, as vendas somaram 17,3 bilhões de reais. Considerada somente a categoria spray, que inclui o aerossol, os brasileiros ficaram na frente, com 7,61 bilhões de reais, seguidos pelos americanos, com 5,03 bilhões de reais.

Fonte: Valor