A Shiseido, uma das principais empresas de cosméticos do mundo, anunciou hoje que adquiriu, através de sua subsidiária americana, Shiseido Americas, os ativos da Olivo Laboratórios, empreendimento da Polaris Partners, com sede em Massachusetts.

A aquisição é a mais recente de uma série de iniciativas apoiadas pelo Shiseido e seu Centro de Inovação Global para expandir ainda mais sua pegada de inovação de beleza global.

A abordagem patenteada da Olivo cria uma pele artificial respirável, flexível e quase invisível, que oferece uma série de benefícios anteriormente inatingíveis e pode ser projetado para fornecer uma variedade de propriedades direcionadas, incluindo elasticidade, transpirabilidade, invisibilidade, resistência à água, proteção.

Shiseido adquiriu patentes cobrindo tecnologias para formar o filme parecido com a pele juvenil e empresas relacionadas dos laboratórios Olivo. Embora os termos da negociação não tenham sido divulgados, fontes do mercado estimam que este é um negócio de dezenas de milhões de dólares.

A Olivo está desenvolvendo o que chama de “segunda pele”, um material que imita a pele juvenil. De acordo com o site da Olivo, “a reticulação in situ garante uma adesão duradoura da pele e gera uma barreira protetora para insultos químicos e mecânicos externos que mantêm a pele seca, mesmo após contato com a água. A capacidade de equilibrar o oxigênio com a permeabilidade à umidade potencialmente proporciona condições ideais para a cicatrização da pele. A camada de polímero invisível é derivada de uma plataforma de materiais com base em polissiloxano ajustável que pode ser projetada para fornecer uma variedade de propriedades específicas do material.”

A Shiseido disse em comunicado que pretende trazer um produto com base nesta tecnologia para o mercado em 2020 e desenvolver o setor em cerca de 10 bilhões de ienes (US $ 89,9 milhões) em alguns anos. A empresa planeja incorporar a tecnologia de segunda pele da Olivo em protetores solares e outros produtos de cuidados da pele.

A Olivo foi fundada em 2015 por um grupo de professores, incluindo Robert Langer, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, um especialista em bioengenharia e renomado pesquisador de dermatologia. Langer ajudará o Shiseido a comercializar a tecnologia.

A Shiseido gradualmente lançará a tecnologia em países como o Japão, a China e os EUA, onde a demanda por produtos antienvelhecimento é alta.