A gigante anglo-holandesa Unilever, dentro de sua meta de RE100, para se tornar uma empresa ‘neutra em carbono’ até 2030, anunciou na semana passada que suas fábricas, escritórios, instalações de P&D, data centers, armazéns e centros de distribuição nos cinco continentes agora são alimentados por 100% de eletricidade renovável. É a primeira empresa a atingir 100% de eletricidade renovável nos cinco continentes.

A Unilever trabalhou com parceiros em todo o mundo para gerar eletricidade renovável em seus próprios locais, com energia solar em uso nas instalações da Unilever em 18 países. Na medida do possível, a transição da Unilever para a eletricidade renovável foi realizada através do apoio ao desenvolvimento de mercados locais de energia renovável, com 38% da eletricidade da rede fornecida por meio de contratos de compra de energia (PPAs) corporativos e tarifas de eletricidade verde.

Onde não era possível, a Unilever adquiriu Certificados de Energia Renovável (CERs) – certificados de negociação aberta vinculados à geração de eletricidade renovável.
”Com a participação na RE100, empresas globais como a Unilever estão enviando um forte sinal de demanda para os poucos mercados em que as energias renováveis continuam sendo mais difíceis de acessar. Eles querem poder fornecer eletricidade renovável localmente a um preço acessível – e querem fazer isso agora,” disse Sam Kimmins, chefe do RE100 no The Climate Group.

Marc Engel, diretor de cadeia de suprimentos da Unilever, disse: “Obviamente, há mais trabalho a fazer, mas esperamos que o anúncio de hoje inspire outras ações em outros lugares e ajude a provar que é possível combater a crise climática e manter o aquecimento global a 1,5 graus Celsius. Renovável é factível.”
Uma contribuição substancial ao anúncio de hoje vem do investimento da Unilever em programas de eficiência energética, que levou a uma redução no consumo total de energia de 28% e à redução das metades das emissões de carbono por tonelada de produção desde 2008, além da introdução de geração de eletricidade solar no local.
Não houve custos líquidos para chegar a esse ponto. A economia que a Unilever conseguiu gerar por meio de mecanismos como os CAE contrabalançou os custos adicionais.