Imagens polêmicas que refletem a sociedade

Uma parte da sociedade brasileira parece não estar ainda preparada para os novos tempos e cria polêmica, através de protestos e ameaças àqueles que buscam acompanhar os novos tempos. Mais de 80 reclamações foram postadas no site Reclame Aqui, contra a campanha de O Boticário para o Dia dos Namorados, veiculada desde o dia 24 de Maio na TV.

A marca anunciou o lançamento do comercial como uma defesa da “diversidade do amor”, “além das convenções”, em uma campanha que mostra diferentes tipos de casais – hetero e homosexuais – trocando presentes, em um reflexo das relações amorosas nos dias de hoje, em qualquer cidade ou capital do país. Entretanto, uma parte do público mais conservador ameaçou a marca nas redes sociais com o boicote a seus produtos.

O Conar – Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária informou na última terça-feira que abriu um processo para julgar a propaganda após receber mais de 20 reclamações de consumidores que consideraram a peça “desrespeitosa à sociedade e à família”.

Mas no YouTube, acabou se instalando uma espécie de “competição” para ver se o comercial ganhava mais aprovações ou reprovações e os “likes” ultrapassaram os “dislikes”, com número de 172.833 contra 149.622 na última terça-feira até ás 17 horas.

A marca ainda não foi procurada pelo Conar, mas fez uma declaração a respeito:

“O Boticário acredita na beleza das relações, presente em toda sua comunicação. A proposta da campanha “Casais”, que estreou em TV aberta no dia 24 de maio, é abordar, com respeito e sensibilidade, a ressonância atual sobre as mais diferentes formas de amor – independentemente de idade, raça, gênero ou orientação sexual – representadas pelo prazer em presentear a pessoa amada no Dia dos Namorados. O Boticário reitera, ainda, que valoriza a tolerância e respeita a diversidade de escolhas e pontos de vista.”

                                                                  

O poder ‘cor de rosa’

De qualquer forma, a polêmica despertou mais uma vez a sociedade para a discussão do tema e a campanha recebeu mais atenção do que normalmente teria, apostando numa aproximação com um público de consumidores da marca, ainda pouquíssimo considerado em campanhas. Precedentes neste tipo de campanha são apenas dois: a Lacta, com os seus bombons Sonho de Valsa, em um filme sobre beijos, e a Gol, que mostrou um casal gay em sua campanha de Dia das Mães.

Na Inglaterra há pelo menos três décadas existe uma indústria chamada ‘cor de rosa’, que investe no potencial econômico de uma classe que, de acordo com pesquisas realizadas pela indústria local, tem senso estético apurado e dinheiro para gastar, já que ainda não há, na mesma proporção de casais heteros, casais homossexuais com família para sustentar.

No Brasil existem propostas veladas para a conquista deste público, especialmente nos segmentos de moda e imobiliário. Mas não há ainda uma disseminação aberta dessas propostas ao público em geral.

Na Câmara dos Deputados o deputado Jean Charles, um defensor da causa homossexual saiu em favor da marca e promete continuar comprando seu perfume favorito Accordes. E o administrador de empresas especializado em técnicas comerciais e apuração de resultados  Roger Estanieski, aposta no aumento do market share da empresa no próximo mês: “Se a empresa fincar o pé nessa posição, deverá colher louros com essa campanha, disse ao site ZH Vida e Estilo”. E  na Parada Gay realizada este fim de semana em São Paulo, os namorados Alexandre Silva, de 35 anos, e o pernambucano Marconi Sales, de 25 anos, foram fantasiados de embalagem para presente de O Boticário.