Há cerca de três anos, a FCE Cosmetique ainda não oferecia muitas opções em produtos ambientalmente amigáveis, orgânicos ou sustentáveis, mas na FCE 2012, realizada pela NüremberMesse na semana passada (29-31) o que se viu foi uma grande quantidade de produtos multifuncionais, de fontes renováveis e tecnologias que substituem produtos sintéticos trazidas ao país por um grande número de representadas que os distribuidores nacionais agora abarcam.

A pegada verde definitivamente chegou ao país, mas não exatamente pela demanda de um mercado que ainda experimenta seu poder de compra antes de fazer escolhas ambientalmente amigáveis. Preço ainda é um fator de decisão e a absorção de novas tecnologias e produtos ‘verdes’ ainda custa caro.

Na verdade, desenvolver um produto totalmente orgânico no país ainda é complicado – seja pela legislação e certificação que esse tipo de produto demanda ou pela própria execução do produto.

Relacionamos abaixo alguns destes produtos e também alguns destaques tecnológicos da FCE.

Seguindo a tendência a Sarfam, distribuidora de marcas internacionais no Brasil trouxe Unilucent PA13, um complexo uniformizador da pele natural, que inibe a produção de melanócitos, muito suave e não irritante à pele, se comparado ao ácido kójico. Outro destaque foi sua linha ouro 24 K Golden Power 955 e a nova tecnologia em adesivo para ácido hyalurônico, com o HYALOVEIL MPF de hidratação long lasting para cabelos e pele.

A crise financeira em várias partes do mundo tornou o Brasil – e seu mercado de cosméticos, que cresce a dois dígitos há 15 anos – uma rota mais que atrativa para as grandes empresas fornecedoras de insumos. Assim, os cerca de 24 mil visitantes profissionais estimados pela organização da feira puderam ter contato com o que há de mais novo no Brasil e no mundo, especialmente em termos de tecnologias verdes.

A questão é que as classes média e pobre, o grande contingente do mercado de cosméticos no país tem um poder de compra limitado e as empresas de cosméticos brasileiras, embora se esforcem para inserir  o conceito verde em seus produtos, precisam encontrar a fórmula ideal para que isso aconteça sem perder de vista estes consumidores.

Para a Embale, empresa catarinense de bisnagas e frascos esse conceito ainda não é prioridade: “É claro que a onda verde chegou ao país e é o caminho, mas no momento nos preocupamos mais com a qualidade e o design inovador que imprimimos em nossos produtos, e que conquista nossos clientes”, diz Paulo Medeiros Junior, do Departamento comercial da empresa. A empresa levou para a FCE a linha Simpol de frascos cilíndricos cujo detalhe é a tampa que praticamente se funde ao frasco e tem o top ovalizado na parte externa, e cilíndrico na interna.

Mas a Oxiteno, produtora de tensoativos e produtos químicos especializados, voltou à FCE depois de 6 anos com o conceito Greenformance, diretriz para que os pesquisadores da empresa desenvolvam soluções inovadoras e sustentáveis, com matérias-primas de fontes vegetais e renováveis. São produtos biodegradáveis e multifuncionais, que proporcionam suavidade aos produtos cosméticos. Além de divulgar seu novo posicionamento, a empresa lançou na feira o ALKONT® EL 3645, um éster etoxilado cujas matérias-primas provêm do açúcar do milho e ácidos graxos. O novo produto atua como um espessante em formulações cosméticas e é adequado para formulações a frio e compatível com formulações a quente.

“Orgulhamo-nos em poder informar que 20% de nossas matérias-primas são de fontes renováveis e cerca de 35% de nossos produtos contém insumos de fontes renováveis”, ressalta Maurício  Lopes, gerente do negócio de Home & Personal Care da Oxiteno, que nos últimos cinco anos investiu R$1,5 bilhão em inovação e novos produtos.

A Wheaton, líder nacional no fornecimento de embalagens de vidro para os segmentos de Perfumaria e Cosméticos e Farmacêutico, e uma das cinco maiores instalações especializadas nestes segmentos do mundo, marcou presença no evento para manter seus relacionamentos e prospectar novos clientes, mas aproveitou para mostrar os desenvolvimentos de sua área de decoração, incrementada com a compra de maquinário alemão. Trouxe opções interessantes em seu portfólio, como as estampas fotográficas e cores para seus frascos de vidro em várias formas de aplicação, com destaque para os frascos em neon. Além disso, a empresa exibiu sua logomarca comemorativa pelos 60 anos em 2012.

A M Cassab participou da FCE com o objetivo de firmar o grupo como distribuidor de especialidades cosméticas e farmacêuticas, com destque para o produto Juventive, de ação rejuvenecedora superior ao retinol e eficácia comprovada na redução de rugas  e aumento da elasticidade e firmeza da pele.

A Cosmotec veio para a FCE com um conceito que busca um equilíbrio saudável entre o virtual e o real, que propõe a recuperação da conexão emocional e da inspiração através de quatro tendências estruturais de comportamento: a mistura de fatores nostálgicos com soluções atuais e eficazes, de texturas aconchegantes e fragrâncias marcantes e tecnologias inovadoras; a satisfação de desejos indulgentes, de experiência sensorial marcante e focada em conforto e bem-estar; e soluções de efeito rápido ou imediato, com ênfase em valor agregado e inovação. Na FCE a empresa demonstrou suas fórmulas que se encaixam nestas propostas, como o Batom Clear Color Reveal FPS 25 que, junto com o Perfume em Stick foram obtidos através de tecnologia de polímero biorenovável, O perfume em gel contém um novo ingrediente que promove fixação da fragrância sobre a pele, garantindo efeito de longa duração. Destaque ainda para o Blush Modelável de aspecto elástico obtido através de associação de pós, silicones e pigmentos especiais. A consistência surpreende: flexível e aveludada.

O grupo suíço Lonza, atendendo à necessidade mais natural da indústria cosmética lançou na FCE ésteres do Poliglicerol, de origem 100% vegetal, que substituem surfatantes e emulsificantes sintéticos. Combinando os negócios da Arch e Lonza Personal Care de fermentação e biotecnologia, trouxe também sua Formula Protect®, de preservativos que atendem a necessidades específicas. No site interativo da empresa há opções de sistemas de proteção para cada necessidade.

Da Lubrizol destaque para os emulsificantes Glucate™ e Glucamate™ , provenientes do milho. Através de um mecanismo de associação, interagem com as moléculas tensoativas, diminuindo a irritação das formulações, enquanto conferem reologia desejável.  São ideais para peles sensíveis e distinguem-se por sua suavidade e desempenho multifuncional. A empresa também trouxe os surfatantes Chemccinate™ e Sulfochem™ derivados de fontes vegetais.

A Rhodia e a Beraca vieram para a FCE com catálogos virtuais. A Rhodia, em tablet e monitores de auto-atendimento, evitando assim o consumo excessivo de papel. A empresa do Grupo Solvay trouxe o seu agente reológico Rheomer®, um polímero de textura diferenciada que permite suspender partículas de maneira eficiente, em suspensões que contém concentrações menores de surfatantes (2 a 3%). Na sessão de experimentação de suas fórmulas promovida no estande da empresa, MackproPlus Rice, um finalizador à base de arroz foi o destaque.

A Beraca apresentou, em sua tela de TV com touch screen, seus lançamentos:  extratos em pó provenientes de quatro frutos amazônicos: urucum, acerola, guaraná e açaí; o Bio Scrub de Açaí, um esfoliante natural e orgânico obtido a partir da semente da fruta e o Stilb Touch HDE – Sistema natural realçador do brilho e da cor, um hidratante natural para cabelos danificados e/ou quimicamente tratados.

A empresa aposta na pegada verde de seus produtos: “O setor está em busca de ingredientes naturais e tecnológicos que satisfaçam seus clientes quanto a sustentabilidade, agregando valor aos seus produtos finais,” diz Vanessa Salazar, gerente comercial da Beraca, que também levou para a FCE os ativos tecnológicos e sustentáveis de seus parceiros, como a Greentech (extratos de violeta, rosa damascena, pitaya) Dermofeel P-30 Toco 70 nom GMO, Decalat Deo  e GO-soft, da alemã Dr. Straetmans e Bosexil, Gingko Biloba Dimeric Flavonoids e o Centevita, da italiana Indena.

A Dow Brasil trouxe sua nova família de surfatantes Eco Sense™, da família dos Alquil Poliglucosideos, com produtos derivados de fontes vegetais (Ecocert)100% biodegradáveis, para ajudar os formuladores a criar produtos com excelente desempenho sensorial, alta espumação e fácil enxágüe para xampus, sabonetes líquidos, limpadores faciais e lenços para bebês.

A D’Altomare, que completa 40 anos  apresentou durante a FCE  o Surfactante de origem vegetal da Rhodia, Mackol® CAS 100 N,  derivado do óleo de coco, 100% ativo,  para formulações cosméticas com apelo natural, livre de conservante, livre de PEG e Dioxano.

A Sensient, ex LCW, apresentou a Sub Mica MeN, com capacidade de absorção de óleo, forma um gel branco natural que faz espessamento. E a Sub Mica E, que absorve água e também forma um gel branco. Não contém nenhum tenso ativo mas com ela é possível fazer emulsão sem emulsionante.

A quantiQ trouxe ativos multifuncionais de origem vegetal para uso em formulações capilares, que penetram nos fios protegendo os cabelos das micro lesões causadas pela escovação. Para o segmento facial, Progeline™ é um peptídeo de alta tecnologia, um remodelador facial lançado e premiado   na In-cosmetics (Inovação) que modula a progerina, marcador do envelhecimento que reduz o aparecimento de rugas e flacidez da pele. 

A Evonik trouxe linhas de silicone, surfatantes, condicionantes, emulsionantes, com destaque para os verdes da linha Tego® Care, de poliglicerol esterificado e de emolientes, cinco deles obtidos por esterificação enzimática, cujo processo utiliza enzima, que é mais eco friendly, pois utiliza menos energia. Os lançamentos são: Tegolon® Eco 10-10, primeira partícula de poliamida de origem 100% vegetal, com alta capacidade de absorção de oleosidade e Tego® Arjuna S, ativo entienvelhecimento revitalizante cutâneo, ativa a microcirculação, melhora a elasticidade e a densidade da pele.

“Há cinco anos este é um movimento que vem se confirmando”, diz Monica Medeiros, da brasileira Scentec que trabalha com fragrâncias. “No ano passado trouxemos fragrâncias com interpretação ecológica, a Aurora Florealis, este ano trouxemos Pantene Nature Fusion, que os clientes pedem para HPPC e fragrâncias mesmo, afirma Monica. Também aposta no mercado ‘pet’, de acordo com ela, um mercado em crescimento. “Tanto para produtos de higiene quanto para Fragrâncias Finas,” diz. Outro mercado para a empresa é o marketing olfativo – aromatização de lojas, concessionárias, academias e alimentícios (pão).

A novidade que a Merck, que fornece filtros solares, pigmentos, maquiagem, ativos anti-idade, clareadores e repelentes também, levou para a FCE foi a sua nova linha de Dióxido de Titânio com proteção UVA e UVB. Alguns Dióxidos de Titânio específicos possuem proteção UVA, semelhantes ao óxido de zinco.

A Basf trouxe Cetiol® RLF seu primeiro emoliente suave produzido através do processo enzimático, aprovado pelo Ecocert e certificado pela NaTrue. É indicado para peles sensíveis – rosto e corpo – pessoas na melhor idade e bebês.

A Focus Química trouxe vários produtos de suas representadas. Da Mibelle ativos biotecnológicos, como célula tronco da maçã; da Stéarinerie-Dubois, ésteres vegetais, Ecocert e sintéticos; da holandesa BRB, silicones; da francesa Sophim emolientes, manteigas; da italiana Phenbiox ativos vegetais por bioliquefação, entre outros.

A Inventiva, distribuída pela Bandeirante Brazmo, empresa brasileira de desenvolvimento e produção de insumos nanotecnológicos para a indústria cosmética, levou para a FCE Cosmetique sua linha verde produzida com 100% de matérias primas de origem vegetal. Entre eles estão o Nutrinvent Ômega LV que contém ômegas 3, 6 e 9, Nutrinvent Balance LV, com  alecrim, melaleuca e semente de abóbora que controla oleosidade do couro cabeludo e da pele e Nutrinvent Hair LV, que protege a cor de cabelos tingidos com licopeno.

A Brenntag trouxe sua linha Avenacare™ beta glucan, proveniente da aveia, caminho natural para incorporar rejuvenescimento e o poder calmante da aveia em produtos anti-idade. Para os cabelos aumenta o brilho, reduz a quebra e para produtos solares previne a aparência de vermelhidão na pele, proporciona efeito calmante e é rapidamente absorvido.

                       
                        Frasco da Pochet para a Mahogany

No Pavilhão Francês da feira, a Orlandi trouxe uma novidade em perfumação: pequenas esferas perfumadas que vão dentro de uma coleção de bijuterias (Lisa Hoffman).  E o Grupo Pochet, pela primeira vez na FCE Cosmetique, mostrou seu mais recente desenvolvimento para a empresa de cosméticos brasileira Mahogany: Make Me Fever (masculino e feminino), um frasco de vidro retangular e alongado com destaque para o relevo moderno da gravura, com tampa em surlyn (Du Pont) produzida pela Ipel/Qualipac no Brasil.

A C-Pack se destacou pelo lançamento de seu tubo flexível 100% renovável. De acordo com a empresa, é o primeiro tubo do mundo em Polietileno Verde, extraído da cana-de-açúcar, que retêm o carbono capturado no ambiente.  No processo, o o melaço é fermentado e destilado na usina para produzir o etanol. Através da desidratação, o etanol é transformado em eteno e esse é polimerizado em unidades de produção de polietileno: PE Verde. Entre essas duas etapas existe a ecoeficiência favorável (captura e fixa 2,5 toneladas de CO2/t PE) e a C- Pack transforma o polietileno verde em tubos plásticos, sendo que estas embalagens, a empresa diz, retêm o carbono capturado no ambiente. A etapa se conclui com a possibilidade de reciclagem do tubo após o descarte.