Nunca é tarde para empreender (e fazer sucesso!)


                              
                                A nova empresária Maria Helena

A recém criada marca de esmaltes Maria Helena Misturinhas é o resultado de uma série de improbabilidades que resolveram acontecer.

O arranque dessa aventura comercial não poderia ser outro senão o talento, mas a competência e o encontro deram o seu empurrãozinho.

Há seis anos Maria Helena Soares, uma manicure setuagenária com mais de 40 anos na profissão começou a trabalhar num salão de beleza localizado em um bairro de classe alta de São Paulo.

Além das habituais misturas de cores de esmaltes praticadas por tantas profissionais do segmento e que Maria Helena desempenhava com um talento especial, a experiência na profissão permitia à manicure ‘concertar’ alguns esmaltes importados de suas viajadas clientes, transformando-os em misturas mais consistentes e também melhorando suas cores e efeitos.

Logo Maria Helena passou a criar suas próprias misturinhas em casa, numa espécie de laboratório. Delas resultavam cores diferenciadas, texturas cremosas, mas mais finas e homogeneas, que permitiam secagem rápida e brilho intenso. Tudo o que Maria Helena aprendeu com a prática da profissão. Era exatamente o que as clientes queriam e ela sabia como fazer. “É tudo uma questão de cobertura”, ensina.

Os esmaltes recriados eram trazidos para o salão e faziam sucesso imediato entre clientes e colegas de profissão. Em pouco tempo as encomendas foram tantas que Maria Helena já não dava conta.

Entra em cena a filha da dona do salão, Ruchelle Crepaldi, hoje com 25 anos, que atendia a área de compra e venda de produtos para os cabelos no salão, a quem Maria Helena pediu ajuda e ofereceu sociedade. Com tino comercial, conhecimentos e relacionamentos na área, além de muito carinho e respeito pela manicure, a jovem e ainda inexperiente empresária, foi dando forma a um plano de negócio que consumiu dois anos de estudos e pesquisas para a busca de uma empresa terceirista que produzisse os esmaltes exatamente como Maria Helena queria, na escala que interessava às sócias.

Assim, os esmaltes Maria Helena Misturinhas, da Bela Maria, Industria e Comércio de Cosméticos, são Tox Free (livres de tuoleno, formaldeído e DBP), para que pessoas com sensibilidade em relação a esmaltes possam usá-los sem restrições. Três esferas de inox em cada frasco mantêm o conteúdo homogêneo e garantem a textura fina e cremosa. Os esmaltes Maria Helena Misturinhas secam rapidamente, têm brilho  intenso e duram cerca de duas semanas. São produzidos pela empresa Color Base, de Diadema, São Paulo. A produção atual é de 500 unidades por cor, mas a cada coleção são oito novas cores, um diferencial da marca. 

Na fase de pesquisas Ruchele contratou uma designer para a criação de uma embalagem diferenciada. Juntas empreenderam longas pesquisas  em relação à forma, materiais e tamanho. Optaram por um frasco menor, de 8ml, quando a maioria no mercado é de 15ml, para que a consumidora pudesse realmente aproveitar todo o conteúdo do frasco, mantendo a  integridade da fórmula. Outro diferencial que conseguiram, dado o volume ainda pequeno da produção, foi a tampa de borracha, para firmar mais a mão na hora da aplicação e o pincel curto, volumoso e com cerdas chanfradas (Kilimplast), que deixa as pinceladas mais finas, evitando manchas e bolhas no acabamento. O rótulo é em silk, ‘por conta da ideia de lavagem para o reaproveitamento do frasco. 

                        
                      As sócias Liliane Maria Helena e Ruchelle

Liliane Lalis, uma Gestora Ambiental de formação, mas de conhecimentos empresariais diversos entrou para a sociedade nessa fase, para cuidar da área de sustentabilidade, logística e um pouco de tudo. “A Liliane mora nos Estados Unidos e está avaliando a possibilidade de abrirmos um escritório por lá, porque a composição dos produtos atende aos padrões internacionais e porque o mercado de esmaltes nos EUA é forte”, conta Ruchelle.

A marca já implantou o projeto de embalagens retornáveis para todos os 15 salões de beleza (10 estados) e 8 esmalterias onde a marca é vendida, além de 8 sites de cosméticos, um de decoração e um de roupas.  A cada cinco frascos devolvidos o consumidor ganha uma nova misturinha. Os pontos de venda recebem também frascos de outras marcas para que também possam ter uma reciclagem ou descarte corretos. “Estamos num processo de estudos com a Prolab para buscarmos a melhor forma de fazer o descarte e o reaproveitamento dos frascos”, conta Ruchelle, que ficou mais com a área comercial, mas também faz um pouco de tudo.

Neste momento Maria Helena está desenvolvendo uma linha de tratamento, além da coleção de primavera. O seu método para detectar as tendências de cada estação obedece a sua sensibilidade e talento: “Acordo pensando em cores, quando vejo uma cor interessante na rua, paro e volto para olhar melhor e reparo muito em sapatos, bolsas e vestidos para criar minhas próprias idéias de cores”, conta a empresária e ainda manicure. “Agora atendo menos e com hora marcada, porque preciso cuidar do meu negócio, mas não abro mão desse contato com as clientes, porque aprendo muito”, conta Maria Helena,  que se vale também da opinião de outras profissionais manicures. “Elas gostam e ajudam a avaliar os produtos. A gente nasce aprendendo e não pára nunca de aprender”, diz modestamente. 
                            
         Coleção de Inverno: para contrastar com as cores escuras do inverno

A marca Maria Helena Misturinhas está lançando sua coleção de inverno, com cores como o laranja fechado (Imperador) e o azul turquesa (Aurora Polar) afinal, acredita, “o inverno já tem cores escuras nas roupas e é preciso dar um contraste a elas”. A idéia é lançar quatro  coleções ao ano.

O posicionamento de mercado da nova marca fica entre as classes A e B. “Como nossos produtos são tox free, eles são para pessoas que procuram além da cor, uma composição melhor, o que encarece os esmaltes”, declara Ruchelle. O preço de cada frasco  varia entre  R$18,00 e R$ 21,00.