O mercado brasileiro mostrou contínuo vigor nos resultados de 2012. Apresentados no final da semana passada pela Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, os resultados mantiveram a expansão acima dos dois dígitos com crescimento de 15,62% em valor para vendas líquidas – “Ex-Factory”, passando de R$29,4 bilhões em 2011 para R$34 bilhões, mantendo média de crescimento  real nos últimos cinco anos na casa dos 10%.

O mercado brasileiro é o terceiro maior mercado consumidor de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), de acordo com o Euromonitor,  com 9,6% de share, (Estados Unidos é o primeiro, com 15,9%  e Japão o segundo, com 10,9%). 

O setor de HPPC no Brasil manteve a média de crescimento  real nos últimos cinco anos na casa dos 10%. A perspectiva de crescimento anual é de acima dos dois dígitos até 2017, de acordo com os dados da Abihpec, apurados diretamente sobre o resultado de seus associados – 350 deles responsáveis por 94% do faturamento do setor.

João Carlos Basilio, presidente da Abihpec  assinalou  os fatores que permitiram o crescimento consecutivo da indústria acima dos dois dígitos nos últimos 17 anos: “Entre eles, o aumento da expectativa de vida, a expansão da classe C, a modernização das fábricas e os ganhos de tecnologia e consequente produtividade”. Basílio também ressaltou a importância dos investimentos da indústria em inovação e P&D: “Foram R$13,6 bilhões em Ativos, Pesquisa e Desenvolvimento e Fortalecimento de Marcas, um total 18% maior que em 2011. Em quatro anos dobramos os investimentos de R$6,6 milhões a R$13.6 milhões. São investimentos fortes”, avalia.

O Brasil é o maior mercado de Fragrâncias do mundo em preços de fábrica, Ex-Factory , com R$ 5,4 bi  (15,9% do faturamento total) e de Desodorantes, com resultado de R$3,3 bi (9,7% do faturamento total), também Ex-Factory. A categoria Fragrância teve crescimento médio de 14,2% nos últimos cinco anos e Desodorante 15,3% no mesmo período.

Cuidados dos Cabelos R$7,7 bilhões; Masculinos R$4,1 bilhões e Infantis R$1,3 bilhões, foram as categorias de maior crescimento em 2012.

Apesar dos resultados excelentes, o presidente da Abihpec aponta para o avanço dos produtos importados na balança comercial. Em 2012 foram US$ 1.037 mi em importações, um crescimento de 10,1% enquanto que as exportações foram de US$ 843 mi, com crescimento de -3,9% . Entretanto, nos últimos 10 anos as exportações do setor de HPPC cresceram 14%, mas, ainda insuficientes ante os 19,8% do avanço das importações. “A concorrência se acirra e os investimentos são necessários”, aponta o presidente da Abihpec. “Serão inauguradas grandes fábricas e Centros de Distribuição em 2013,” conta.

Em preços ao consumidor a indústria manteve-se em US$ 42 bilhões (alta de 0,3% e equivalente a 1,8% do PIB nacional). Caso a desvalorização do dólar tivesse sido de 5% e não de 17,4% (cesta de moedas Abihpec), a porcentagem de crescimento seria de 12,4%  – valores em dólares americanos.


Importações/Exportações

De acordo com a associação, os dez mercados para onde o setor de HPPC brasileiro exporta são da América Latina, prevalecendo os produtos de cabelo com 20,4% e higiene oral com 14,3%. Entretanto, o setor está exportando atualmente para 150 países.
Importamos produtos do setor de 62 países, especialmente Argentina(26,4%), devido a maior competitividade da indústria Argentina de Aerossóis. Dos Estados Unidos importamos cremes para pele(13,6%), da França fragrâncias (54,2%), da China escovas de dentes (23,1%), do México e Alemanha dentifrícios representa 26,1% e 38,6% respectivamente, de acordo  com os dados da Abihpec.

Oportunidades

No mercado massivo o Brasil é o segundo maior mercado do mundo. São 52% do faturamento do mercado brasileiro, enquanto que em produtos Premium o país está em 14° lugar, com apenas 3% do faturamento geral.  “A tendência do consumidor brasileiro hoje é buscar maior valor agregado nos produtos. Temos que nos preocupar com as tendências em matérias-primas e embalagens. O consumidor brasileiro busca por produtos de qualidade”, ressalta Basílio. 

Assim como os produtos Premium têm um espaço para crescer nesse mercado, as categorias de cuidados com a pele com 5% no market share mundial e de maquiagem, com 6% , apontam para oportunidades de mercado. “Estamos só começando nessas categorias”, diz Basílio.

No ranking mundial o mercado brasileiro é o vice-líder nas categorias Banho, com R$ 3,4 bi (crescimento médio Ex Factory de 15,7%); Cuidados com os Cabelos, com R$7,7 bi  (crescimento médio7,7% nos últimos cinco anos); Infantis, com R$1,3 bi (crescimento médio de 17,9% nos últimos cinco anos); Masculinos, com R$4,1 mi  (crescimento médio de 16,2% nos últimos cinco anos) e Proteção Solar, com R$ 1,1 bi (crescimento médio de 11,2% nos últimos cinco anos).


Vendas

No mercado total em volume, o canal de Venda Direta teve crescimento de 8,2%, enquanto Franquia teve crescimento de 1,6%. Em valores, houve queda no crescimento de 28% do canal de Venda Direta, já que em 2011 o canal cresceu 30,2%. Em valores o canal de Franquia também cresceu 8,2% em 2012 e o mercado tradicional (que inclui atacado e as lojas de varejo), cresceu 63,8% em 2012, o que demonstra uma tendência de crescimento nas vendas em lojas.  

Ainda de acordo com os dados divulgados pela associação, o setor de HPPC cresceu 1,4% mundialmente em 2012, sendo que quatro dos dez maiores mercados França, Rússia, Itália e Alemanha) registraram quedas.
O segmento gerou oportunidades de trabalho para 4300 pessoas em 2012, 80%  delas mulheres, e com o setor de Franquias apresentando maior oportunidade de trabalho, no período de 1994 a 2012, com 15,7% de crescimento, seguido pelo de Venda Direta, com 10,6% de crescimento em oportunidades, seguido pelos Salões de Beleza, com 6,1% de crescimento no mesmo período e Indústria, com 5,1%.


* Dados Ex Factory são Abihpec
** Dados de preços Euromonitor