Crucial na cadeia de crescimento do mercado de cosméticos, os ingredientes químicos para cosméticos, especialmente os importados, vem sofrendo reajustes nos últimos anos e encarecendo a fabricação de cosméticos no país. Considerando que grande parte dos fabricantes do mercado de cosméticos utiliza ingredientes importados, este ano as empresas de cosméticos e seus consumidores deverão ter o valor de seus produtos impactados por esse mercado.

Terceiro maior mercado global no consumo de produtos de beleza, o Brasil ainda possui perspectivas de crescimento otimistas, porém os desafios serão maiores do que há dez anos. É o que revela estudo realizado pela Factor-Kline cujos resultados relativos à área de ingredientes para cosméticos no Brasil, serão divulgados no Congresso da FCE Cosmetique (12 a 14 de Maio).

O estudo avaliou mais de 100 ingredientes de cuidados pessoais, divididos em oito principais categorias, sob pontos de vista de fornecedores, tipo de ingrediente, e aplicação,  incluindo conservantes, polímeros condicionantes, surfactantes, emolientes, emulsificantes, polímeros fixadores de cabelo, absorvedores UV e modificadores de reologia.

O mercado de ingredientes foi estimado pela Factor-Kline em cerca de USD 1.1 bilhões (ex-factory) em 2013 no Brasil, com estimativas de crescimento de 3-4% para os próximos anos.

       
                                Vendas totais em 2013: USD 1.1 bilhões


Trata-se de um mercado composto predominantemente por empresas européias ou norte-americanas que atuam diretamente no mercado brasileiro, ou através de vários níveis de distribuidores conseguindo penetrar desde as médias até as pequenas empresas.

O estudo da Kline & Factor revela que o Brasil é a maior região no planeta em cuidados com os cabelos em 2013, que 86% das mulheres pelo menos uma vez já coloriram os cabelos, e que 70% da população possui cabelos encaracolados ou ondulados. É ainda um mercado que detém ainda 9% em cuidados com a pele, sendo que 67% da população possui pele mista ou oleosa.

Considerando que as mulheres brasileiras estão cada vez mais exigentes quanto aos produtos para os cabelos, e quanto ao sensorial dos produtos para o rosto, o mercado brasileiro apresenta um grande potencial de crescimento para as empresas de ingredientes químicos, especialmente àquelas que tragam inovações e tecnologias para as empresas de cosméticos.

O estudo avaliou o tamanho do mercado de ativos especiais por categoria de produto e funcionalidade; perspectivas de crescimento dentro de cada categoria e funcionalidade para ativos especiais; os principais fornecedores e como a atividade de fusões moldou o mercado, entre outras questões.

Nos últimos anos, muitas dessas empresas fizeram aquisições e/ou fusões, uma forma estratégica de se posicionarem mais fortemente nesse mercado.

Aquisições no Mercado de ingredientes para cuidados pessoais

• Em 2011, a Ashland adquiriu a International Specialty Products Inc. (ISP), expandindo  o portfólio nos segmentos de personal care, com destaque para os ingredientes funcionais. Com esta aquisição a Ashland incorporou também a empresa francesa Vincience especializada em biotecnologia para extração de ingredientes bioativos destinados aos cuidados da pele e do cabelo.

• A BASF realizou três aquisições importantes que a consolidaram no mercado brasileiro de especialidades: Ciba (2009), que reforçou o portfólio de produtos. Cognis Holding Luxembourg (2010), uma das principais fornecedoras de especialidades químicas voltadas para bens de consumo. Laboratoires Sérobiologiques, com importantes inovações em cosmetologia.

• Em 1997 Croda adquire Sederma da França, líder global no fornecimento de ingredientes ativos para a indústria de cosméticos, com uma gama única de produtos para cuidados da pele e cabelo. Em 2006, adquiriu a Croda Uniqema do ICI, se estabelecendo como um líder global em especialidades químicas. Em 2012 Croda anunciou a aquisição da IRB (Istituto di Ricerche Biotecnologiche SpA), líder mundial no mercado emergente da cultura de células vegetais .

• Em 2003 a DSM adquiriu a Roche Vitamins & Fine Chemicals, ampliando seu objetivo de investir no segmento Life Science.

• A Symrise fortaleceu a sua posição no mercado mundial com várias aquisições estratégicas desde 2006. As três últimas aquisições foram: Manheimer Fragrances and Intercontinental Fragrances (2009), que fortaleceu substancialmente o segmento Air Care. Futura Labs (2009), uma das principais fabricantes de aromas e fragrâncias no Egito e os Emirados Árabes Unidos. Belmay (2013), American Fragrance Fabricante

• A Ionquímica em 2014 passa a ser denominada Agia, isso reforça uma nova etapa da empresa com estratégias diferenciadas de integração e crescimento.


De acordo com a Kline & Factor, em relação a outros países, o Brasil ainda investe pouco em inovação na área de matérias-primas, avaliando os últimos anos e os lançamentos realizados. Entretanto, de acordo com a agência, a busca por soluções inovadoras está cada vez mais presente na rotina do empresário da área de cosméticos.

Os resultados do estudo serão apresentados na 27º Congresso Brasileiro de Cosmetologia, abordando uma visão sobre o desempenho geral do mercado de ingredientes no Brasil, com foco em tendências e as principais categorias de ingredientes.