O setor brasileiro de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) faturou em 2011 R$29,4 bilhões em valores Ex-Factory (sobre os produtos saídos de fábrica, sem impostos sobre vendas), 7,9% a mais que em 2010. Os dados são da Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos -, que divulgou os resultados do setor na última quinta-feira.

Segundo o Euromonitor, instituto que mede os preços ao consumidor, os brasileiros consumiram 7,9 bilhões de dólares em 2010, um crescimento de 24,7% no comparativo com 2009, terceiro maior mercado consumidor do mundo. Os dados do Euromonitor para 2011 devem ser anunciados na 2ª quinzena de Abril.

Entretanto, de acordo com as informações do instituto de 2010, o País está no segundo lugar do ranking global de consumo em produtos para cabelos, com 11,9% de market share, atrás somente dos Estados Unidos, que tem 15,9% de participação. Ainda de acordo com as informações do Euromonitor de 2010, o setor de HPPC gerou 4 milhões, 282 mil oportunidades de trabalho no ano, sendo 1 milhão e 480 mil somente em salões de beleza.

As exportações do segmento de HPPC fecharam 2011 em US$ 754 milhões, crescimento de 8,7% sobre 2010. Comparativamente no mesmo período as empresas participantes do Beautycare Brasil, Projeto de Internacionalização das indústrias Brasileiras de HPPC criado pela Abihpec em parceria com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos), tiveram uma ampliação de 15%, atingindo US$ 126 milhões em vendas internacionais.

Ranking

Os dados divulgados a semana passada pela Abihpec, referentes a 2011 apontam para o Brasil como o primeiro mercado do mundo nas categorias de: desodorantes, com um faturamento de US$3,6 bi, um crescimento de 15,5% em 2011; Infantil, com US$1,3 bi e 15,28% de crescimento e Perfumaria, que faturou em 2011 US$ 6 bi, um crescimento de 12,7% em 2011. A categoria obteve crescimento médio em faturamento nos últimos cinco anos de 16,2%.

O Brasil ficou em segundo lugar no ranking mundial, na categoria de Proteção Solar, com 20,2% de crescimento em 2011; na categoria de Produtos Masculinos, com 14,5% de crescimento (em 2010 houve um crescimento de 11,3%) e em Produtos para os Cabelos, faturou US$7,9 bi e obteve crescimento de 13,5%.

Na categoria Maquiagem, o mercado brasileiro ficou em terceiro lugar no ranking mundial, faturou US$ 3,3 bi, com um crescimento de 12,6% em 2011, quase o dobro de 2010 – de 7,1%.

Crescimento significativo teve também a categoria de Cuidados com a pele – 8,4%, com faturamento de US$4,8 bi em 2011, enquanto que em 2010 o crescimento da categoria foi de 5,5%.


Cabelos

A Abihpec divulgou dados mais específicos em porcentagem de crescimento, em porcentagem em volume e faturamento da categoria de cabelos, tendo em vista a realização da Hair Brasil, a qual a associação mantém parceria.

Nos últimos cinco anos, as subdivisões de produtos para cabelos (Colorir/Descolorir, Condicionadores, Fixadores/ Modeladores, Permanente/ Alisante, Produtos para tratamento do cabelo, e Shampoo) somam R$6,7 bilhões Ex-Factory, quase 22,8% do total do setor. A categoria cresceu em volume 2,5% ao ano e no faturamento 7,2% ao ano.

Produtos de Tratamento tiveram crescimento médio de 24,6% nos últimos cinco anos; Coloração, 22,5%. Os Condicionadores 18,3 % no crescimento médio nos últimos cinco anos e 5,5% de crescimento médio no faturamento nos últimos cinco anos, atingindo os R$9 milhões. Apenas em tinturas para os cabelos houve um crescimento médio nos últimos cinco anos de 14,2%, com crescimento médio de 2,5% em faturamento. “Somos o maior mercado do mundo em tinturas”, destacou João Carlos Basílio, presidente da Abihpec.

Fixadores e modeladores tiveram um crescimento de 4,3% nos últimos 5 anos, com crescimento no faturamento dos últimos 5 anos de 9,8% .