A International Fragrance Association – IFRA, sediada em Genebra, Suíça, sediará sua atuação na América Latina, em São Paulo, onde acaba de instalar um escritório de representação. Até então a região era atendida por meio das associações locais na América Latina, de maneira descentralizada. Seus principais mercados são: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México.

A IFRA representa os interesses da indústria de fragrâncias em todo o mundo. É composta por oito empresas multinacionais e 21 associações nacionais distribuídas em 23 países da Europa, Ásia-Pacífico, América do Norte e agora América Latina – e que representam centenas de pequenos e médios fabricantes de ingredientes de fragrâncias e responsável por 90% a indústria em volume de produção.

O Código de Práticas e os Padrões da IFRA são a base de um sistema de gerenciamento de risco reconhecido globalmente para o uso seguro de materiais de fragrâncias. Garante, dessa maneira, o compromisso da indústria de fragrâncias em fornecer produtos seguros para os consumidores e que respeitam o meio ambiente.

A IFRA também promove a ciência, a sustentabilidade, o bem-estar e o diálogo com as autoridades e a sociedade civil, além de apoiar toda a cadeia produtiva do setor – dos produtores e fornecedores de ingredientes naturais e sintéticos aos fabricantes de perfumes, cosméticos, produtos de limpeza e de higiene pessoal.
Martina Bianchini, presidente da IFRA disse: “Trouxemos um escritório para São Paulo, para coordenar ações que regulamentem e beneficiem de uma forma geral o fornecimento, as inovações, a produção e a comercialização de fragrâncias em toda a América Latina.”

Para Eugênia Saldanha, diretora da instituição na América Latina, a operação da IFRA em São Paulo mostra a importância que a região tem para o mercado global e possibilita reforçar o valor agregado que a fragrância gera a produtos em diversos segmentos. “É uma maneira rápida e efetiva de responder às demandas e dúvidas da indústria, pois estaremos mais próximos e atuantes junto aos diversos stakeholders e associações nacionais presentes na região”, diz. O presidente do Conselho Regional da IFRA para a América Latina, Miguel Zavala, acrescenta: “A IFRA trabalhará ainda mais de perto com as indústrias que usam nossas fragrâncias de modo a apoiá-las em todos os aspectos relacionados à inovação que envolva o uso de fragrâncias.”

Ele atenta para o fato de que a IFRA terá como desafio nos próximos anos a harmonização em termos de legislação, questões regulatórias e de sustentabilidade da América Latina.

Dados

A fabricação de fragrâncias está no centro de uma sofisticada cadeia de valor. O setor de fragrâncias libera benefícios para seus fornecedores e seus clientes – gerando valor e dando suporte a agricultores, setor químico, fabricantes de bens de consumo e varejistas.

3000 fornecedores de matérias-primas para empresas globais de fragrâncias e aromas (com base em dados públicos disponíveis para Givaudan e IFF)

Os fornecedores do setor de fragrâncias geram € 1,2 bilhão de valor agregado na produção e venda de matérias-primas naturais, suportando 218.000 ETIs. Para produtos sintéticos, são gerados € 2,3 bilhões de Valor Adicionado, suportando 139.500 ETIs. O fornecimento de ingredientes naturais para a indústria de fragrâncias suporta 250 ETIs por milhão de euro de gasto e 34 ETIs por milhão de euro em gastos com materiais sintéticos.

As vendas globais geradas pela indústria de fragrâncias (excluindo US e Canada que não tiveram tempo hábil para contabilizar dados) foram de €7.3 bilhões, advindos de operações da indústria de perfumaria e seus fornecedores, e de funcionários gastando seus salários. O que gerou 415,000 empregos de tempo integral (ETI) pela indústria globalmente.

Na área de ingredientes para fragrâncias, o número de empregos suportados pela indústria global foi de 26,000, 8% ETI. A indústria de perfumaria teve vendas globais de € 357 bilhões de produtos ao consumidor e varejo.