A subsidiária brasileira da Avon registrou no segundo trimestre do ano um crescimento de cerca de 15%, de acordo com dados divulgados ontem pela empresa em Nova York.
A Avon registrou vendas globais de US$ 1,84 bilhão no segundo trimestre, 13% maior em relação ao mesmo período do ano passado.

 

A boa performance do segmento antiidade no Brasil, foi ressaltada a investidores pela principal executiva da empresa, Andréa Jung, durante conferência. No Brasil foram vendidas 2,7 milhões de unidades do lançamento Renew Clinical em apenas 40 dias.  Nos EUA o lançamento registrou vendas de 1,7 milhão.

 

Na América Latina, o aumento das vendas em dólar foi de 10%, enquanto nas moedas locais o crescimento atingiu 15%. Maior empresa de vendas diretas do mundo e líder em cosméticos no

Brasil, a Avon registrou, em 2003, receita bruta de R$ 2,9 bilhões, 14% maior que no ano anterior. A presidência da Avon no Brasil está sendo ocupada pelo executivo Amílcar Meléndez, que também preside os negócios na América Latina.

 

A subsidiária brasileira é a mais importante operação internacional do grupo. No segundo trimestre, a melhor performance em vendas aconteceu na China, com crescimento de 60%. Por continente, a Europa foi o destaque positivo, com expansão de 28% em dólar, e 20% em moeda local.