O presidente da Avon Brasil, José Vicente Marino, deverá deixar o cargo no final de Fevereiro, de acordo com informação do jornal Valor Econômico na última segunda-feira (27) e confirmada pela Natura&Co , controladora da marca Avon.

Durante um ano e quatro meses no comando da empresa, Marino diminuiu descontos nos preços de alguns produtos, reduziu o portfólio e cortou alguns funcionários da empresa e realizou um acordo com a Rappi para acelerar prazos de entrega. Além disso, fez uma parceria com a loja Pernambucanas, colocando quiosques da Avon dentro das unidades da gigante varejista brasileira e dobrou o lucro operacional da Avon durante o seu comando.

O jornal informa ainda que um dos nomes que estão sendo especulados para o comando da Avon é o de Erasmo Toledo, diretor de venda direta da Natura. Além dele, Andrea Álvares, diretora executiva operacional de marketing, inovação e sustentabilidade; e Joselena Romero, vice-presidente de operações e logística.

A Natura &CO Holding informou no início deste mês que revisou e elevou a estimativa de meta de sinergias resultantes da combinação de negócios entre Natura Cosméticos e Avon.

De acordo com o comunicado da empresa, a projeção foi ajustada para cima e passou a ser estimada na faixa de US$ 200 milhões e US$ 300 milhões, (R$ 812 milhões – R$ 1.218 milhões). A faixa anterior era de US$ 150 milhões a US$ 250 milhões conforme divulgado no fato relevante da controladora da Avon, no dia 22 de maio de 2019.