No último mês (maio), os principais sites de e-commerce brasileiros registraram 1 bilhão de visitas e um crescimento médio de 51% na sua audiência em relação a fevereiro, período anterior à pandemia.

Os dados foram levantados pela Conversion, consultoria de performance & SEO, utilizando dados da plataforma SimilarWeb para contabilização de número de visitantes.

Diego Ivo, CEO da Conversion, diz. “A pandemia acelerou fortemente o e-commerce e vai criar uma nova corrida pelas vendas online entre as empresas”, prevê Ivo.
Entre os que mais tiveram crescimento médio, estão os setores de Farmácia & Saúde, com 43,28% e Cosméticos, com 40,80%.

Seguindo a linha de empresas como Amazon, Facebook e Apple, que já superaram seu valor de mercado pré-coronavírus, no Brasil espera-se uma nova corrida pelo e-commerce, que se tornou a única modalidade de vendas para muitos varejistas.

De acordo com a Conversion, durante a pandemia, o e-commerce foi o único canal de vendas para praticamente todos os varejistas (B2C – Business to Consumer) e até indústrias, que chegam ao online pela modalidade de vendas conhecida como D2C (Direct to Consumer). Vendas online aumentaram 51%.

No ranking dos principais sites de e-commerce no Brasil destaque para os e-commerces de beleza e de farmácias, que apresentam maior concentração de vendas de cosméticos e produtos de higiene pessoal, do que sites de varejo  generalizado, a partir do número de acessos (em milhões), no mês de maio de 2020.

Nome da Loja, Categoria, Número de acessos (em milhões)

Natura Cosméticos 11,580
O Boticário Cosméticos 8,633
Avon Cosméticos 8,274
Ultra Farma Farmácia & Saúde 5,303
DrogaRaia Farmácia & Saúde 4,501
Drogasil Farmácia & Saúde 4,119