1 – Qual o propósito de sua visita ao Brasil?

Vim para a FCE Cosmetique, para o Congresso de Cosmetologia, para uma palestra magistral. Também vim para o Seminário Internacional de Proteção Solar em Brasília, convidado pela Abihpec Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosméticos.

2 – Qual o principal requisito para a proteção solar efetiva?

Há décadas a eficácia dos protetores solares tem sido determinada principalmente pelo por meio do fator de proteção solar UVB. Devido ao fato que também a super exposição aos raios UVA podem induzir alterações significativas e danos à pele humana, a proteção contra a radiação UVA é o principal requisito adicional para os protetores solares além da efetiva proteção de queimaduras do sol.

3 – Os consumidores latino-americanos de um modo geral tem acesso a produtos com proteção UVA?

Mesmo hoje é muito difícil para o consumidor Latino Americano encontrar protetores solares, que ofereçam proteção UVA suficiente ou quantificada. Os consumidores em geral deveriam ser informados sobre o grau de proteção UVA em proteção solar.

4 – O que o Sr. quer dizer com suficiente ou quantificada? Existe uma medida padrão?

Um método para quantificar a proteção UVA é o Padrão Australiano oficial que garante um grau de proteção UVA de mais de 90% e é um método para a determinação dessa proteção aceito internacionalmente. A medição de proteção UVA harmonizada mundialmente é essencial para fornecer produtos comparáveis para o consumidor.

5 – Na Europa os produtos já são harmonizados por este Padrão Australiano?

Na Europa, a Associação Européia de Cosméticos, Produtos de Toucador e Cosméticos  – COLIPA está atualmente trabalhando na harmonização da medição e rotulação da proteção UVA. A finalização é esperada para 2006.

6 – E essa harmonização deverá chegar também à América Latina?

A transferência a meio-termo destes novos métodos para o mercado de proteção solar da América Latina faria sentido contra a prática de uma harmonização mundial do UVA teste e rotulação.

7 – Então a proteção UVA é a proteção mais importante? Isso tem a ver com o aquecimento que vem sendo registrado no clima do planeta?

A proteção UVA é o principal requisito para proteção solar (além da efetiva prevenção de queimadura solar).
O clima está mais quente. Aumentar a conscientização do consumidor é muito importante. Este é um dos fatores. E também há provas científicas de que, devido aos danos ambientais tem havido uma variação nos raios de UV em certas partes do mundo, principalmente no hemisfério sul. A variação nos raios de UV deve ser de cerca de 10%, mas tecnicamente não deveria ser perceptível pelas pessoas.

8 – Qual a sua opinião sobre os autobronzeadores, eles são uma opção válida à proteção solar e uma tendência crescente?

Algumas pessoas confundem esse tipo de produto com produtos para bronzear.Os protetores solares são uma maneira segura de se conseguir um bronzeado para a pele por um certo período de tempo, mas não protegem a pele do sol.
Produzidos com Erytrulose, DHA (dihidroxiacetona),Tirosina, complexos vitamínicos e extratos naturais diversos, os autobronzeadores atuais permitem aos consumidores um tom de pele atraente, sem a necessidade de exposição ao sol, preservando-os assim do envelhecimento precoce e do câncer de pele.
O ingrediente DHA (Dihidroxiacetona) é que produz esse efeito, resseca a pele e precisa ser combinado a outros elementos que, no entanto precisam ser usados na quantidade exata. Então é preciso muita água e hidratantes, o que inclusive aumentam o bronzeado.

9 – O Fator Azul que a Nívea atribui a seus produtos de bronzeamento seria um componente químico específico ou muito mais um apelo de marketing?

O Fator Azul é uma palavra de marketing, mas representa ciência, tecnologia e desenvolvimento. Oferece proteção imediata no momento em que você aplica o produto porque ele cobre a pele. O que você precisa é de uma mistura correta dos filtros UV sem deixar de cobrir parte alguma da pele. Por isso você precisa também de óleos e lipídeos apropriados que se espalham com facilidade e são mais fáceis de dissolver os filtros UV.

Não é que exista um produto miraculoso que garanta proteção imediata. O que existe é a combinação dos filtros corretos e dos lipídios. Então para cada tipo de produto você tem que achar a condição correta.

Os quatro atributos importantes do Fator Azul são baseado em muita pesquisa e desenvolvimento. São eles: Proteção imediata, proteção contra os raios UVA e UVB, sendo que o filtro UVA da linha Nívea Sun, usa a norma australiana de 90% de proteção dos raios UVA; Hidratação Prolongada, a própria história de Nívea, da lata azul, é a do creme de hidratação. O quarto item – textura suave e rápida absorção – tem a ver com a facilidade com que Nívea Sun espalha-se facilmente sobre a pele, o que garante proteção por igual. Juntando os quatro itens você tem o Fator Azul que é a expressão dos quatro itens juntos num nome.

10 – Os ativos naturais chegam também aos protetores solares?

A tendência dos naturais é uma tendência na cabeça do consumidor, mais um conceito de marketing, porque é impossível, por exemplo, você criar um protetor com fator de proteção 30 só com ingredientes naturais. Seria praticamente impossível. O principal objetivo da Nívea é trazer o melhor produto para o consumidor, mesmo se com naturais ou sintetizados.