Uma das mais prestigiadas revistas especializadas em cosméticos do mundo, Cosmetics International entrevistou Miguel Krigsner, presidente de O Boticário. A revista inglesa, que não tem anunciantes, é distribuída para um público qualificado em todo o mundo, por assinatura.

1 – Qual a história de O Boticário?

O Boticário começou em 1977, como uma pequena farmácia de manipulação na cidade de Curitiba. Nas minhas horas de folga, entre uma receita e outra, comecei a criar fragrâncias, xampus e cremes para o corpo para os clientes. Hoje a empresa é a maior rede de franquia do mundo em perfumaria e cosméticos. Tem cerca de 2300 lojas no Brasil, 47 em Portugal, sete no México, duas nos EUA e cinco na América Latina. Em adição seus produtos estão sendo distribuídos em mais de 950 pontos de venda em 19 países, como a Austrália, Japão, Arábia Saudita, Emirados Árabes, África do Sul e Egito.


2 – Quais são suas forças e fraquezas?

Com mais de 550 produtos, oferecemos uma ampla variedade que cobre as mais importantes categorias em cosméticos e oferecemos uma solução completa de beleza. Uma das matérias que podem ser consideradas como uma fraqueza é a dificuldade em encontrar o ambiente ideal para novos clientes conhecerem nossos produtos. Já que o Brasil não é muito reconhecido como um produtor tradicional de produtos cosméticos, o maior desafio é encontrar parceiros interessados em desenvolver a marca.


3 – Qual é a sua linha mais vendida?

A linha mais vendida é a de perfumaria em geral. Malbe, uma fragrância masculina lançada no Brasil em 2004 vendeu mais de 1 milhão de unidades em apenas 4 meses.


4 – Como o mercado brasileiro  é diferente do  da Europa e dos EUA?

O Brasil era um mercado muito fechado até dez anos atrás. Os produtos importados eram muito caros para a maioria das pessoas. Isso permitiu que O Boticário a criar seu próprio canal através de franquias e a expandir sua marca pelo país.Sendo um grande produtor num mercado enorme (o Brasil é o sétimo maior mercado do mundo) deu-nos a experiência para criar produtos competitivos.


5 – O esforço de exportação do governo brasileiro o ajudou?

Sim, o governo brasileiro esta desempenhando seu papel no mercado internacional e abrindo comunicação de duas viascom países com os quais O Boticário não negociava previamente. Por esse motivo há uma estratégia novos negócios internacionais.


6 – Quais mercados em crescimento O Boticário está se concentrando?

O Boticário examina uma expansão nos EUA. Expandir para a Europa através da operação estabelecida em Portugal também é uma possibilidade.  


7 – O Mercado de cosméticos e  produtos pessoais pode continuar com esta atual taxa de crescimento?

Acreditamos que seja possível. Embora acreditemos que seu caminho mude um pouco devido as novas tecnologias, aplicações de produtos e produtos naturais. Mercados desenvolvidos tendem a estabilizar, mas ao mesmo tempo há grandes oportunidades em novos mercados, que estão ansiosos para ter acesso a mais produtos cosméticos.