Dr. Roman Kaiser, é Diretor de Aromas Naturais da Givaudan, pesquisador renomado internacionalmente. Em 1988 foi agraciado com o prestigiado Prêmio de Pesquisa e em 1995 o Instituto Federal de Tecnologia da Suíça (ETH) lhe conferiu um doutorado honorário em ciências naturais.

 

  

1. Qual é a história de sua carreira?

Sou químico e entrei em 1968 na Givaudan em seu Centro de Pesquisas em Dubendorf/Zurich como químico de fragrâncias e sabores. Durante os primeiros dez anos de meu trabalho na Givaudan trabalhei na investigação e reconstituição de óleos essenciais e produtos relacionados e em componentes de aromas naturais. No início dos anos 70 comecei a desenvolver os métodos de captação headspace e métodos analíticos complementares para aplica-los às investigações de todos os tipos de aromas naturais.

 

2. Onde o Sr. tem pesquisado novos aromas?

A pesquisa por novos aromas e novas moléculas de odores levou-me a exóticas e diversas partes do mundo como Hachjio-jima, uma ilha do Pacífico a 600 km ao sul de Tókio; as savanas de Mpumalanga, na África do Sul; as florestas do Brasil, à África tropical; Papua Nova Guiné ou Malásia ou as regiões montanhosas dos Alpes ou Himalaia.

 

3. O Sr. tem trabalhos publicados?

Em mais de 60 casos os resultados dessas investigações foram publicados em jornais especializados. Por causa de sua riqueza em aromas eu estudei com mais detalhadamente mais de 1000 espécies da família das orquídeas e resumi uma parte dos resultados em no livro “The Scent of Orchids” (O Aroma das Orquídeas). Atualmente, estou trabalhando num outro livro que descreve a descoberta dos aromas mais interessantes  que fiz durante os últimos 20 anos.

Atualmente, estou muito envolvido em estudos de aromas de espécies altamente ameaçadas que pretendo publicar em um livro. Minha esperança é sensibilizar as pessoas para que a natureza seja protegida.

 

4. O que o atraiu a Givaudan?

A oportunidade de combinar ciências naturais com talento artístico e desenvolver produtos amigáveis para o ser humano.

 

5. Quando o Sr. começou a se interessar por fragrâncias?

Eu diria que desde a  minha infância. Cresci no na parte leste da Suíça e gostava muito de explorar as redondezas coletando todos os tipos de baga e ervas. Vivendo numa vila você tem muito cedo experiências intensas com aromas característicos. Minhas primeiras e importantes experiências foram os cheiros da árvore de lima flores e os incensos da igreja local.

 

6. Que tipo de plantas/flores são as suas mais recentes descobertas e quais possivelmente serão usadas em fragrâncias?

Como exemplo eu poderia mencionar o delicioso cheiro da flor sagrada de Ashok nativa da Índia, ou a conhecida Alpina Forget-me-not das mais altas montanhas da Suíça, uma planta maravilhosa, parecida com almofada e coberta por centenas de flores de um azul profundo, que emitem um generoso aroma floral.

 

7. O Sr. acha que o Brasil tem uma identidade especial em fragrância? O Sr. acha que ela deva ser desenvolvida diretamente relacionada à biodiversidade brasileira?

O Brasil abriga pelo menos 10% de plantas de todas as espécies do mundo e é um dos mais importantes centros de biodiversidade. Uma vez que os aromas naturais estão sempre diretamente conectados a seres vivos, a plantas ou animais, o Brasil é correspondentemente rico em tais aromas. Por causa de sua enorme riqueza e diversidade, dificilmente poderemos falar sobre um cheiro tipicamente brasileiro. Simplesmente toda nota olfativa pode ser encontrada aqui. Mais ainda, este enorme e único país consiste de muitos tipos de vegetação. A Amazônia mostra uma composição de plantas diferentes da Mata Atlântica ou do Cerrado.

Na Amazônia, por exemplo, encontramos aromas verdes ou odores de todas as plantas herbáceas; às vezes também pode haver um cheiro floral-frutal, doce que provém de folhas, especialmente aquelas da espécie Clusia. Podemos perceber ainda um cheiro rico floral aromático, um odor parecido com o da baunilha ou próximo da espécie Lecythis, típica de espécies de árvores da Amazônia. O ar pode ser preenchido com o maravilhoso cheiro de frésia ou violeta. Mas se você se aproximar individualmente das espécies de plantas, você poderá descobrir qualquer cheiro imaginável. Pense em cerca de 2400 espécies de orquídeas nativas do Brasil, há 60 vezes mais do que podemos, por exemplo, encontrar na Alemanha!

 

8. Quais são os principais cheiros da América Latina?

Pelas  mesmas razões não podemos falar de um cheiro principal na América Latina, que é provavelmente a parte mais rica em aromas do mundo.

 

9. Os humores de plantas e flores  produzem aromas diferentes durante o dia ou em diferentes tipos de clima?

Sim, eles são de fato!

A ultima propósito do cheiro de uma flor é atrair o respectivo polinizador, na maioria dos casos, insetos. Como resultado da co-evolução/adaptação entre flor e polinizador, flores emitem seus aromas especialmente durante o tempo ativo de um polinizador. Assim, certas espécies de plantas florais parecem sem cheiro durante o dia, mas emitem cheiros intensos e, na maioria das vezes, cheiros muito atrativos depois do por do sol até a manhã, porque elas são visitadas à noite por espécies ativas de mariposas. Outras flores comportam-se diretamente de maneira positiva, elas são apenas sentidas durante o dia porque elas são polinizadas por espécies de  abelhas diurnas ativas. Existem ainda espécies mais extremas ilustrando a dependência de tempo na emissão da fragrância como a Cattleya luteola nativa dos estados do Amazonas e Pará. Geralmente as pessoas pensam que estas espécies seriam sem cheiro, mas se você avaliar estas elegante flores amarelas de manhã cedo entre 5 e 6 horas, uma fragrância verde floral muito delicada e fresca, de moderada intensidade pode ser experimentada, a qual é, entretanto, dificilmente reconhecida depois das 7 da manhã. De forma interessante, esta espécie Cattleya é visitada e polinizada num período muito breve entre 05.30 e 5.45 da manhã, por uma espécie de abelha crepuscular, como um Dodson, famoso Orchidologist, observou em habitat natural. A emissão da fragrância é sincronizada com o período curto de visita with de seu polinizador.

Exatamente de maneira oposta se comporta a espécie Constantia cipoensis, a conhecida Orquídea Diamante, das montanhas Serra do Cipó em Minas Gerais, que é geralmente também considerada sem cheiro. Se você avaliar esta  maravilhosa  gema durante os 40 minutos do crepúsculo à tarde, você será recompensado por um dos mais maravilhosos cheiros de orquídea. Durante as 23 horas remanescentes do dia, esta orquídea é, na verdade, sem cheiro.

 

10.  Um perfumista pode escolher quais delas são melhores para um certos tipos de fragrância?

Sim, esta é uma das razões, pela qual estudamos cheiros naturais, que tentamos aprender tanto quanto possível sobre a natureza. Tentamos aplicar tais conceitos em nossas fragrâncias para fazer com que vocês sintam-se ainda melhores usando-as. A mãe natureza é nossa melhor professora e merece ser respeitada e protegida com toda a consideração.