Desenvolvido em uma parceria entre Social Miner, Anymarket, Vindi e Neoassist, um relatório inédito analisa o comportamento online do consumidor.
O estudo traça panorama de e-commerce no Brasil e mostra como aproveitar melhor as oportunidades de relacionamento e a efetivação de vendas.
O estudo analisou o comportamento de navegação de mais 35 milhões de usuários e os setores com maior representatividade no total de vendas online, em 2018, foram beleza e saúde (35,78%), moda (17,89%) e informática (14,35%).

O mês de novembro e a Black Friday continuam sendo as estrelas do comércio online. Puxado pela data especial, (1,88% do volume total de visitas do ano, 6,5 vezes maior que o registrado na segunda data comercial com maior representatividade de tráfego: 15 de março, Dia do Consumidor) o segundo semestre concentrou os maiores números de vendas para os e-commerces totalizando 60,45% contra 39,55% nos primeiros seis meses do ano. E é bom lembrar que, além das vendas, a Black Friday concentra um grande número de visitantes que efetuam compras nos meses seguintes.

Uma das primeiras conclusões é que é preciso entender cada vez mais a jornada do consumidor em cada evento do mercado. Black Friday (novembro) e Dia do Consumidor (março) lideram as vendas, mas no Dia dos Namorados, por exemplo, homens e mulheres mudam o perfil das categorias que compram, o relatório aponta.
A região com maior representatividade em vendas, de 67,29%, foi o Sudeste, sendo que mais se consumiu produtos dos setores de móveis, multicategorias, bebidas e moda. O destaque de vendas da região ficou para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, que concentraram 40,49%, 13,58% e 11,19% do volume, respectivamente.

Também em 2018 as mulheres compraram mais das categorias Bebês (92,41%), Moda (89,23%) e Beleza e Saúde (83,63%), enquanto homens deram preferência a produtos dos setores de Informática (92,58%), Bebidas (70,12%) e Eletrônicos (65,54%).

O tíquete médio geral do ano de 2018 foi de R$ 378,45. O mais alto foi no segmento de eletrônicos (R$ 1.000). O cartão de crédito foi o método de pagamento mais relevante nas transações do ano. Porém, quando considerada a receita gerada por cada método de pagamento, o boleto bancário ganha relevância, com aumento de 10,88 pontos percentuais.