Sessenta e três por cento dos consumidores globais, socialmente conscientes tem menos de 40 anos de idade, eles consultam mídias sociais na tomada de decisões de compra e estão mais preocupados com as causas ambientais, educacionais e com a fome, segundo um novo estudo da Nielsen, uma provedora global de informações e insights sobre o que os consumidores veem e compram.

A pesquisa da Nielsen Cidadania Corporativa Global com mais de 28.000 respondentes da Internet em 56 países mostra que 46% dos consumidores globais estão dispostos a pagar mais por produtos e serviços de empresas que implementaram programas que ofereçam retorno à sociedade. A Nielsen define estes consumidores como os consumidores socialmente conscientes.

“É claro que esforços de responsabilidade corporativa sociais ressoam com um grupo específico de consumidores”, disse Nic Covey, vice-presidente da Nielsen Cares, programa Nielsen da responsabilidade corporativa social. “Os comerciantes precisam saber quem são os consumidores, a fim de maximizar o retorno social e empresarial de seus esforços de marketing de causa. Este entendimento permite que as marcas se engajarem em esforços sociais de impacto que apelem para os consumidores certos com as causas justas e através dos canais adequados. “

A pesquisa da Nielsen mostra que, em geral, os consumidores mais jovens estão mais dispostos a gastar mais por produtos e serviços de empresas socialmente responsáveis. Cinqüenta e um por cento dos entrevistados tem idade entre 15 e 39 anos e estão dispostos a pagar mais por esses produtos e serviços em relação aos  37 por cento dos entrevistados com idade acima de 40. Olhando para os consumidores socialmente conscientes especificamente, os resultados da Nielsen mostram que 63% estão abaixo de 40 anos.

Os consumidores na Ásia-Pacífico (55%), Oriente Médio e África (53%) e América Latina (49%) estão dispostos a pagar mais por produtos e serviços de empresas socialmente responsáveis do que os consumidores na América do Norte (35%) e Europa (32%). De acordo com levantamento da Nielsen, a maior concentração de consumidores socialmente conscientes é nas Filipinas, onde 68 por cento dos inquiridos estão dispostos a pagar mais por produtos, enquanto a menor concentração está na Holanda, onde 21% dos entrevistados indicaram a disposição de gastar mais.

Entre as 18 causas analisadas, a Nielsen acha que os entrevistados socialmente conscientes priorizam a sustentabilidade ambiental (66%), melhorias para a ciência, tecnologia, educação em engenharia e matemática (56%) e a erradicação da pobreza extrema e da fome (53%) para empresas que estão implementando programas.

“Saber que causas são mais importantes para o consumidor socialmente consciente pode ajudar as marcas a priorizar seus investimentos sociais”, disse Covey. “O próximo passo é entender exatamente que causas são importantes para os clientes individuais de uma marca.”

De acordo com levantamento da Nielsen, quando se trata de marcas e publicidade, consumidores globais socialmente conscientes confiam em recomendações de pessoas que eles conhecem (95%) e procuram por opiniões e informações postadas por outros consumidores on-line (76%).

Consumidores socialmente conscientes são mais suscetíveis do que outros entrevistados a usar a mídia social para ajudar a tomar decisões de compra (59% vs 46% dos entrevistados).