A perfumaria no Brasil vive um momento único. Ao se transformar no maior mercado consumidor do mundo (veja matéria do cosméticos br de Maio deste ano: Brasil já é o maior mercado de fragrâncias do mundo ), ultrapassando os Estados Unidos, o País sela seu apreço pelo universo das fragrâncias e investe no aprendizado e na cultura do perfume.

Em agosto, foi inaugurado o curso gratuito de capacitação Avaliação Olfativa para Deficientes Visuais. A iniciativa é da empresária Tânia Bulhões, dona da revendedora de luxo de artigos para casa e de perfumaria, com parceria da Fundação Dorina Nowill para Cegos, entidade que se dedica à inclusão de deficientes visuais. A estrutura conta com laboratório e aulas com perfumistas renomados. Dos 100 deficientes visuais candidatos, só 10 conseguiram as vagas após rigorosa seleção. Eles vão estudar por um ano e, no segundo, estagiar nas principais casas de fragrâncias do País.

Coordenado pela expert em perfumes Renata Ashcar, o projeto vai oferecer mão de obra ao mercado com demanda aquecida e, ao mesmo tempo, com falta de profissionais.

“A iniciativa é única no mundo”, garante Renata. Ela explica que formação técnica para aprender essa arte só existe em dois locais na França: no Institut Superieur Internacional du Parfum de la Cosmétique et de l’Aromatique Alimentaire (ISIPCA), em Versalhes, e no Cinquième Sens, com sede em Paris e uma filial em Nova York. “Mas, para poder cursá-los, é necessário ter formação em farmácia ou química e bancar os estudos por dois anos.”

A Faculdade Santa Marcelina não ficou atrás. Conhecida por ser pioneira no ensino superior de moda no Brasil, a instituição abriu as portas, em março, para a primeira turma de pós-graduação com foco em perfumaria, com o curso A Cultura do Perfume – Essência e Ciência. A criadora da especialização e pesquisadora Andréia Miron.

“Há pouco mais de dois anos, já se apontava para o crescimento do mercado e também da necessidade de qualificação profissional”, recorda Andréia, coordenadora da pós. “As grandes casas de fragrância sentiam falta de gente com conhecimento mais amplo, pois os que já trabalhavam na área se limitavam à cultura da empresa.” O diferencial desse curso, diz Andréia, é a união de moda e perfume, tão valorizada no exterior e pouco explorada no País. “Muitas grifes se mantêm com a venda dos perfumes. Por isso é importante trazer para cá esse conceito, que agrega bastante valor à marca”, explica. A Faculdade Santa Marcelina tem um museu que aborda a história do perfume ao longo de 5 mil anos. O espaço fica em Perdizes.

A chacoalhada no varejo nacional vem com a chegada ao Brasil da megastore francesa Sephora, a maior rede de cosméticos e perfumes do planeta, a partir de 2012, avisa Renata Ashcar. “A previsão dessa marca, que se associou à Sack´s (maior empresa brasileira de venda online de perfumes e cosméticos), é abrir 20 lojas no País em três anos”, diz Renata.
 “O que não aconteceu em 10 anos no varejo vai acontecer em três, com o aumento de oferta de produtos exclusivos e preços mais acessíveis, ” diz a autora do livro Brasilessência: A Cultura do Perfume.

E, pela primeira vez, o Prêmio Atualidade Cosmética irá promover palestras e workshops abertos ao público. Uma chance e tanto para conhecer perfumistas, que são os grandes criadores das fragrâncias que seduzem os consumidores. “O brasileiro ama perfume, mas não tem muito conhecimento sobre esse mundo apaixonante”, afirma Jenifer Vieira, coordenadora do prêmio. “É justamente para difundir a cultura do perfume que oferecemos essa programação”, explica.